iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

11/07 - 18:21

Muricy: “Palmeiras pode ir tranqüilo ao Morumbi”

“Acabou esse tempo de ficar colocando coisa no vestiário ou de deixá-lo sem água e luz", disse o treinador

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - O São Paulo terá a oportunidade de jogar em sua casa contra o Palmeiras depois de ter sofrido no Palestra Itália na semifinal do Campeonato Paulista. Ainda sem se conformar com o gás que foi atirado no vestiário do estádio rival na partida decisiva do Estadual, o técnico Muricy Ramalho garante que o Tricolor não adotará represálias contra o rival no Morumbi.

“Acabou esse tempo de ficar colocando coisa no vestiário ou de deixá-lo sem água e luz. Hoje, a coisa é profissional e tem de ficar no campo. Naquele dia, alguém fez uma coisa muito errada, mas não terá revide. O Palmeiras pode ir tranqüilo para o Morumbi”, afirmou.

Naquela segunda partida da semifinal do Paulistão, o vestiário em que estava o Tricolor foi tomado por um gás de pimenta durante o intervalo, o que obrigou o elenco são-paulino a voltar ao gramado antes do previsto.

“Não foi coisa do São Paulo e pode ser que não foi do Palmeiras também. Claro que alguém fez, mas já passou e foi esquecido. Houve a punição e será tranqüilo no Morumbi. Se eu tivesse malandragem, poderia ter parado o campeonato naquele dia”, acrescentou.

O zagueiro André Dias seguiu o discurso do comandante e também avisou que a rivalidade tem de ficar restrita ao jogo dentro de campo.

“Vai ser um jogo acirrado por se tratar de um clássico e por lutarmos direto com eles pela classificação. Para chegarmos ao primeiro lugar, temos de passar pelo Palmeiras. Mas não vamos levar em conta aquele incidente e revidar. Pedimos tanto para não ter briga nas arquibancadas e seria falta de consideração ao profissional e aos torcedores se fizéssemos alguma coisa. Terá só a rivalidade normal de clássico”, afirmou.


Leia mais sobre: Palmeiras São Paulo Campeonato Brasileiro

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo