Tamanho do texto

José “Piculín” Ortiz tinha mais de 200 pés de maconha em sua casa e pode ser condenado a até 40 anos de prisão

O ex-jogador José "Piculín" Ortiz, ídolo da seleção de Porto Rico, foi detido na manhã desta quarta-feira em sua casa por posse e cultivo de maconha. Segundo a fiscal Rosa Emilia Rodríguez, havia 218 pés de maconha na residência e a prisão marca o fim de uma investigação que já durava um mês.

Junto com as plantas, também foram encontrados documentos com instruções sobre o cultivo de maconha e 40 balas de calibre 5,56, compatíveis com um rifle AR-15. Se condenado, Ortiz enfrentará pena de cinco à 40 anos de prisão.

"Foi notada a experiência que ele tinha para cultivar", disse Rodríguez, que afirmou que a droga não era para uso pessoal, mas para ser revendida. No mercado clandestino, especula-se que as plantas valham cerca de US$ 150 mil (mais de R$ 234 mil).

Há menos de um ano, o ex-jogador foi motivo de uma polêmica após ter sido acusado por uma rádio porto-riquenha de usar drogas. Na época, ele reagiu com irritação. "Só espero parar o rumor que este tipo de profissional irresponsável solta como forma de trabalho", afirmou.

Ortiz foi jogou por dois anos nos EUA após ter sido selecionado pelo Utah Jazz no "NBA Draft" de 1987. Além de ter passagens por várias equipes européias no currículo, ele acumula participações em quatro Jogos Olímpicos e cinco Campeonatos Mundiais com a seleção nacional.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.