Taça do Paulistão arrow-options
Divulgação
Taça do Paulistão

Estamos carentes de futebol . Todo começo de ano é a mesma coisa: a Copinha parece ser a melhor coisa do mundo. Assistimos milhões de jogos, tabelas que não acabam, times de todas as partes do país.

A ausência de jogos dói. É simbolizada pelo vazio dos domingos de dezembro e do começo de janeiro. Pelo vazio das quartas-feiras sem partidas antes de dormir. Sem nosso time em campo. Isso tudo está prestes a acabar. Em 2020.

O Ca mpeonato Paulista gera muita expectativa nos quatro grandes de São Paulo. O Corinthians – o melhor grande na Copinha de 2020 – pode revelar novos jogadores. A principal novidade fica no banco de reservas, no entanto. Tiago Nunes representa uma mudança de filosofia de jogo. Acostumado a times defensivos desde 2008, o torcedor do Timão exige mais. Tiago fez ótimo trabalho no Athletico.

Luan – se tiver condições físicas – tem tudo para ser liderança técnica. O desafio é ser o mesmo Luan de 2017. O desafio é provar que aquele ano não foi apenas um momento fora da curva. Cantillo também deve ser muito útil. As permanências de Cássio, Fagner, Gil e Pedrinho formam o esqueleto. 2020 deve ser promissor.

Luan%2C atacante do Corinthians arrow-options
Florida Cup/Divulgação
Luan, atacante do Corinthians

O Santos fez o caminho inverso: perdeu o que vinha dando certo. Jorge Sampaoli deu coragem, bom futebol e valorização ao elenco alvinegro. O desgaste com a diretoria, no entanto, pesou na saída do argentino. Sampaoli deve viver período sabático nos próximos dias, no Rio de Janeiro.

O Peixe apostou em Jesualdo Ferreira. O português é mestre no 4-3-3, mas é mais prudente do que o antigo comandante. Busca mais o equilíbrio do que a goleada. O rosto, o semblante e o corpo do Santos na história são a cara do gol. Se não abdicar disso, tem tudo para dar certo. Precisa de reforços. Um lateral-esquerdo, principalmente. Mas quem?

Jesualdo Ferreira é técnico do Santos arrow-options
Reprodução
Jesualdo Ferreira é técnico do Santos

O São Paulo resolveu acreditar no tempo. Entende que dar tempo para Fernando Diniz é o essencial no momento. Que com tempo para trabalhar e ajustar o elenco o Tricolor vai conseguir ressurgir. São nomes importantes. Daniel Alves, Hernanes, Pablo e Alexandre Pato representam muito dinheiro e muita esperança.

Diniz não colocou em prática sua filosofia de jogo. O Diniz do São Paulo ainda está longe de ser o Diniz do Audax. As categorias de base devem ser a mescla com a experiência. A continuidade de Tiago Volpi foi um grande reforço.

Fernando Diniz arrow-options
Divulgação
Fernando Diniz

O Palmeiras limpa a casa. Conseguiu se livrar de Deyverson, Borja e Carlos Eduardo. Tem novo diretor de futebol e novo técnico. Vanderlei Luxemburgo deveria fazer as duas funções quando se tratar de negociação de jogadores. Anderson Barros, ex-Botafogo, está tímido no mercado. Perdeu Orejuela para o Grêmio. Rony, do Athletico Paranaense, tem tudo para ser a volta por cima.

Luxa tem o desafio de provar que ainda tem a mesma competência dos anos 90. Tem o desafio de mostrar que pode jogar de forma ofensiva. É a grande esperança verde.

Vanderlei Luxemburgo no Palmeiras arrow-options
Florida Cup/Divulgação
Vanderlei Luxemburgo no Palmeiras

O Flamengo sobra. E engordou mais nos últimos dias. O prato rubro-negro está cheio de opções e o cheirinho é bom.

    Veja Também

      Mostrar mais