Tamanho do texto

Corinthians anunciou que não vai renovar o contrato da meia de 39 anos, que se tornou um dos maiores ídolos da história recente do clube alvinegro

Danilo completou mais de 300 jogos pelo Corinthians e fez história no clube
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Danilo completou mais de 300 jogos pelo Corinthians e fez história no clube

Danilo parece lento, mas tem passadas longas. Cérebro rápido. Canhota ágil. Danilo parece ser devagar, dorminhoco, alheio. Mas Danilo é o tipico craque que cresce nos momentos importantes. E acordou tantas e tantas vezes quem perde o sono pelo Corinthians. É jogador de passe simples. De toque de chapa. De lançamentos precisos. Enxerga além de seu tempo. Seu tempo é o ritmo do seu time. Seu tempo não é essa correria que se vê na grama afora. É técnica, jamais foi força. 

Danilo é o calcanhar na hora certa. E é quieto. Tão quieto que destoa dos gritos de gol que provocou. Nunca foi chamado para representar o Brasil. Azar do Brasil. Pena de quem não deu uma chance sequer ao falso lento. Ao falso preguiçoso. Ao falso distraído. O raro tipo de gente que é muito mais do que aparenta. Num mundo onde aparentar é forçar ser, Danilo é natural. Passa despercebido por tantos olhos. Geralmente os olhos que não choraram com sua arte. É explosão. Mas - outra vez contraditório - explosão que jamais fez barulho. Ruído ou estrago.

Danilo não coleciona polêmicas, frases sem contexto, reclamações nos jornais. Danilo não carrega marra, soberba, ego exacerbado. Nem discussões, brigas, falta de ambiente. Danilo é grupo quando prefere achar o companheiro ao gol. Quando busca a cor da camisa que veste e não o ouro que pode vestir tantos diferente dele. É espécie rara na selva dos tempos atuais. Humildade deveria ser seu sobrenome. Segundo sobrenome. O primeiro: Corinthians. Atende pelo nome Corinthians . Tem se confundido desde que chegou aqui. Não foi o melhor da Libertadores, o melhor do Mundial, o melhor dos Brasileiros e Paulistas. Mas sem ele ninguém seria majestade.

O anúncio do fim não gerou barulho, quebradeira, protesto. Trouxe - sim - tristeza, nostalgia, agradecimento. O anúncio do fim não veio com euforia, desespero e buchicho. Fofoca, deslize, ingratidão. Até seu anúncio de término é quase que mudo. Perceberá quem sabe seu tamanho na história. E só perceberá quem construiu sua própria história através do talento de Danilo. História e amor estão em um dos principais cantos da torcida que sentirá sua falta.

Danilo dormirá em berço esplêndido diante da arte que proporcionou sem querer avisar o mundo. O grande artista é aquele que faz coisas maravilhosas e não se preocupa com recompensa ou aplauso. Assim será o silencioso adeus do craque calado. Será como seu jogo: elegante, fino e leve. As cortinas se fecharão no mesmo tom. 


    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.