Tamanho do texto

Diretoria e treinador decidiram pela saída. Por enquanto, André Jardine assume interinamente. O empate de sábado custou caro para Aguirre

Sobre Aguirre. Ele chegou com desconfiança. Ninguém acreditava em quem supostamente pouco sabia sobre o futebol brasileiro. E enquadrou um peruano. Cueva. Botou limite em um time limitado tecnicamente. Jamais fez encher os olhos. Mas convenhamos: só Renato Gaucho deu encanto no Brasil sem brilho. Ele deu pontos. Cicatrizou as feridas.

Leia também: Renato Gaúcho não descarta treinar o Fla em 2019

Diego Aguirre deu adeus ao São Paulo depois do empate com o Corinthians
Bruno Cantini/Atlético MG
Diego Aguirre deu adeus ao São Paulo depois do empate com o Corinthians

Ele tirou o desespero do olhar da torcida. Ganhou na segurança. Primeiro ganhou a defesa. Depois contra-atacou. Venceu por um a zero. Foi líder. É melhor vencer por pouco do que sofrer por muito. Aguirre deu esperança. Eis o principal pecado.

A esperança é o principal pecado no Brasil. Na esperança vivem os improváveis times campeões. Os craques medianos. Os limitados sanando a ilimitada crença do título. Saiu brigando por Libertadores. Bateu mais do que apanhou.

Ele foi informado sobre a descontinuidade. Não conseguiu - é verdade - dar sequência e segunda alternativa. De única via, virou avenida. Opção. Sintoma de dor. Do sangue que vazou da esperança que fez surgir. Ele acreditou em tudo. Na diretoria, no time, na torcida. Na própria voz de comando.

Leia também: Palmeiras mantém diferença na liderança do Brasileirão

Silenciada hoje. Silenciada na dispensa. Silenciada nos poucos gritos de gol que deram muitas vitórias felizes. Nos poucos gols dos muitos pontos improváveis. Ele sabia que não ficaria. E adiantou o futuro. Que é adeus. É presente. É passado agora. É Aguirre. Não é o São Paulo . Mas foi mais São Paulo que vinha sendo sem ele.

Leia também: Tite convoca Renato Augusto e Alex Sandro

Aguirre nem fala português com perfeição. Fala portunhol. E poucos entenderam no clube como foi com ele. Aguirre sai, mas deixa legado. Deixa a esperança. A esperança foi seu maior pecado.

É pecado dar esperança campeã para time mediano. Mesmo que seja bom treinador. Pecado que custa a vida. O cargo. A esperança pode ser cruel. Foi para Aguirre .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.