Tamanho do texto

Palmeiras de Scolari foi o único paulista que venceu nessa quarta. São Paulo perdeu, inclusive, a liderança. Timão decidiu trocar o comando técnico

Tem razão o meu amigo Fábio Piperno, um dos grandes jornalistas esportivos do Brasil: a velha nova onda voltou oficialmente ao futebol brasileiro. Felipão ganhou mais uma. E mais do que isso: mais uma ao seu estilo, sua forma de ver o jogo, na raça. O Palmeiras de Scolari se aproximou dos líderes e viu o rival São Paulo deixar a primeira colocação. Felipão, já ídolo da torcida alviverde, está em alta. Como nos velhos tempos. Engoliu qualquer desconfiança. 

Leia também: Peres e a tartaruga, a fábula que enlouquece o santista

Luxemburgo pode seguir os passos de Scolari?
Divulgação
Luxemburgo pode seguir os passos de Scolari?

A velha geração ganha força com os braços do técnico pentacampeão. Tida como ultrapassada e cafona, antes, a antiga guarda desempatou com a nova leva. De quebra, Osmar Loss - que realizou trabalho abaixo da média no Corinthians - caiu. Com ele, antes, já tinham dançado Roger Machado e Jair Ventura. A música cheia de novas palavras e discursos chatos não agradou os ouvidos dos dirigentes. O treinador precisa conhecer questões táticas, claro. Mas também precisa saber passar seu conhecimento. Convencer seu time. O caso de Scolari .

Felipão utiliza dois times no Palmeiras. Um no Campeonato Brasileiro, outro na Libertadores. Assim, mantém todo elenco motivado. Conquista bons resultados e continua vivo nas duas competições, além da Copa do Brasil. Ele tem boas peças para todos os setores e tem conseguido aproveitar. Roger Machado tinha os mesmos jogadores, mas não teve os mesmos resultados. O único jovem que recentemente levantou taças importantes foi Fábio Carille. E seguiu para o futebol árabe. Dos antigos, até bem pouco tempo, Abel Braga era um dos únicos prestigiados. Não vai assumir clube nenhum até o ano que vem. Está certo.

Leia também: Griezmann questiona Fifa por ausência em prêmio

Luxemburgo está carregado de resultados ruins. Não ganha um campeonato importante desde 2004. De lá para cá, muita coisa mudou no futebol brasileiro. Jogadores passaram e surgiram. Estádios foram derrubados e outros nasceram. Títulos e vexames apareceram, inclusive o sete a um. A criança que nasceu em 2004, hoje, já é adolescente. E não viu Luxa ser campeão. O que é extremamente preocupante para o corintiano que ouve a possibilidade de ter o veterano como comandante do clube.

Leia também: Mbappé pega gancho no Campeonato Francês

Scolari deu a volta por cima e Palmeiras segue vivo em todas competições
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Scolari deu a volta por cima e Palmeiras segue vivo em todas competições

Mas Luxa pode surfar na onda de Felipão.  Scolari chegou como ultrapassado, cansado, derrotado. Tem dado a volta por cima e recriado a velha nova onda do futebol nacional. A volta dos que não foram. Resta ao Corinthians decidir se vai mergulhar nela. Porque há risco de morrer afogado. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.