Tamanho do texto

O time paulista foi eliminado nas oitavas de final para o Colo-Colo, que deve enfrentar o Verdão. Loss é criticado, mas a diretoria tem mais culpa

O técnico geralmente é a vidraça. São atiradas pedras de todos os lados. Até que o trabalho vira um monte de cacos quebrados no chão. Não importa se teve título, se o time é fraco, se a diretoria não ajuda. O técnico - invariavelmente - vai ser o culpado em algum momento, mais cedo ou mais tarde. Precisa dar resposta imediata e convencer rapidamente. Preparar o famoso omelete sem ovos. Aos olhos da torcida, o técnico é mais culpado do que jogadores e dirigentes. Sempre. O Corinthians não é exceção. 

Leia também: Francês Henry elogia Pep Guardiola

Osmar Loss caiu com o Corinthians na Libertadores
Reprodução
Osmar Loss caiu com o Corinthians na Libertadores

Andrés ganhou a eleição e não fez questão nenhuma de segurar peças importantes. Vendeu Balbuena, Maycon e Rodriguinho assim que teve oportunidade. Talvez até na primeira proposta. Não conversou, não discursou, não tentou segurar por algum tempo jogadores fundamentais para o esquema tático do Corinthians . Em sua linha de raciocínio, o técnico pouco importa. E, até por isso, também não chorou quando Fábio Carille saiu. Efetivou Osmar Loss.

Loss pegou o carro andando. Foi perdendo pneus e trocando, em movimento, mesmo sendo motorista de primeira viagem. Tropeçou mais do que se encontrou pelo caminho. As críticas vieram, assim como a eliminação na Libertadores. O Timão foi melhor do que o Colo-Colo em Itaquera , mas menos eficiente. Lucas Barrios teve aproveitamento praticamente de cem por cento, fez o gol e resolveu a parada. Valdívia também foi importante. O time corintiano mostrou nervosismo.

Leia também: Santista pensou em se aposentar depois de eliminação

Osmar Loss - é verdade - não convence com seu discurso cheio de palavras esquisitas. Seu papo é menos boleiro e mais rebuscado, o que não tem dado certo no futebol brasileiro. É inegável, porém, seu conhecimento sobre o jogo. Foi importante na revelação de muitos meninos que brilharam recentemente pelo clube. Loss tem sido vítima de péssimas negociações da diretoria do Corinthians. Deixou de ter pneus importantes durante a estrada. E o carro ficou capenga. Capotou para o Colo-Colo. O longe de ser ótimo Colo-Colo. O envelhecido Colo-Colo. É menos vilão do que mocinho na história.

O jovem técnico do Corinthians não tem autonomia para chiar. Para fazer pedidos mirabolantes a Andrés Sanchez. O mandatário é centralizador e faz questão de resolver sozinho. Resolveu vender Balbuena, Maycon, Rodriguinho. O resultado é esse que se viu na quarta-feira. Mais vaia do que aplauso. A vaia tem sido para Loss. Andrés, já muito aplaudido pelo corintiano, ouve uma indiferença surda. O que é preocupante, mas menos preocupante do que os gritos contra Loss. Loss: nem a solução, nem o problema. Talvez vítima da sua própria diretoria.

Leia também: Andrés vira réu por crime tributário

O Corinthians está fora da Libertadores. Azar da Libertadores. Ela perdeu a chance de ter um Corinthians e Palmeiras na próxima fase. Tirando as trapalhadas jurídicas com Santos e River Plate, as denúncias de corrupção e a desorganização. A Libertadores sai mais derrotada do que o Corinthians.