Tamanho do texto

O volante Fernandinho foi vítima de racismo nas redes sociais depois de falhar contra a Bélgica, na desclassificação do time brasileiro na Copa

O brasileiro de bem assistiu a derrota com a família. Afinal, amigos, o brasileiro de bem valoriza a família. E gritou, desesperado, a cada erro de passe da seleção. Xingou adoidado. Depois jantou macarronada, deu um cochilo e foi ofender Fernandinho nas redes sociais. Usou as palavras mais imbecis e imperdoáveis. Foi dormir satisfeito com sua ignorância. Na cabeça do cidadão de bem, sua razão é evidente e ele precisa escancarar. É racista, mas acha o politicamente correto coisa de idiota. "O mundo está chato", conclui.

Leia também: Que o brasileiro não tenha ódio de Tite

Fernandinho foi vítima do brasileiro inconformado com a eliminação
FIFA/ Divulgação
Fernandinho foi vítima do brasileiro inconformado com a eliminação

O brasileiro de bem não se conforma com a opção sexual dos outros. Se acha o espelho da Bíblia, a última bolacha do pacote. Minimiza o mais pobre e não tolera oportunidade para quem tem menos condição. "Não pode dar o peixe. Precisa ensinar a pescar", exclama o cidadão de bem, com seu carro zero, presenteado por seus pais. Sai com cerveja na mão. E bebe dirigindo, evidentemente. Acha babaquice a lei seca. Acelera por aí, criando suas próprias regras e confiando plenamente em seu reflexo. Ele jamais causou acidente, afinal. Não seria agora.

O brasileiro de bem quer a pena de morte. E quer o candidato radical. O intolerante: seu espelho de grande homem, justiceiro e confiável. O cidadão de bem não se conforma com a escolha da maioria. E julga todos como burros, idiotas e sem cultura. Jamais é julgado. É o dono da verdade. Não tolera democracia.

Leia também: O brasileiro detesta Neymar

O brasileiro de bem está morrendo de vergonha. Vê o mundo rindo de Neymar. Criando memes, tirando sarro, gargalhando do jogador. O cidadão de bem jamais quer ser comparado a Neymar. Enxerga o craque como símbolo de quem se aproveita das situações, por se jogar e rolar no chão. Julga como fácil a vida do camisa dez . O brasileiro de bem fala que Neymar é mercenário e só pensa em dinheiro. Não critica tecnicamente Fernandinho: critica covardemente sua cor, se escondendo em perfis falsos da internet, despejando ódio por todas as partes. Dorme seu sono mais profundo. Sem culpa ou remorso. 

Leia também: Você já amou como eu amei

O brasileiro de bem não é boa gente.