Tamanho do texto

Guilherme Cimatti estreia coluna no Portal iG; fique de olho e acompanhe as melhores notícias e resenhas dos bastidores do futebol ao redor do mundo

Existe algo mais difícil do que dar oito piruetas seguidas, carregar um trombone por 20 quilômetros, tirar a bola do Messi e cancelar uma conta em uma operadora conhecida de celular (por telefone mesmo, óbvio): escolher nome para uma coluna. Estreio hoje aqui no Portal iG e devo admitir a complexidade. Já fiz muita coisa complicada na vida: andei a cavalo quando o mesmo tomou uma picada de abelha no saco, entrei bêbado em uma janela minuscula de casa e paguei aposta engolindo uma pimenta inteira de uma só vez. Mas nada é mais desafiador do que escolher nome para uma coluna.

Leia também: "Se parafuso não incomodar, Neymar vai mantê-lo a vida toda", diz médico do PSG

De bico com Cimatti é a nova coluna do iG Esporte
Divulgação
De bico com Cimatti é a nova coluna do iG Esporte

Dar nome a qualquer coisa, aliás, não é mole. Para filho, cachorro, papagaio ou peixe beta. O sujeito estará fadado para todo sempre com o chamativo que você inventar. Deyverson, por exemplo, atacante do Palmeiras: coitado. Primeiro que ninguém vai falar certo. Segundo que todos vão escrever errado, inevitavelmente. Mas há nomes piores. Dei um Google e achei alguns. Photoshope Leonardo Carvalho, Rosquildes da Silva, Necrotério Pereira, Tospericajerja Wander e Jacinto Leite Aquino Pinto. Todos vítimas de pais criativos.

Leia também: CBF lança uniforme da seleção brasileira para a Copa do Mundo. Confira fotos!

Aqui em casa temos a Pedrita, uma cachorra pequena. Heminia, minha mãe, é a responsável por escolher os nomes. Ela, inclusive, gosta do Herminia. Herminia Felicitas. Quase chamou Joaquina (o que seria traumatizante). Há 28 anos (um antes do meu nascimento), inventou que a york shire nova dela se chamaria Talita. Talita: sem 'h', por favor. Talita já foi dessa para uma melhor. Também teve uma poodle com nome de Larissa, mas depois. Larissa morreu faz pouco tempo. E eu quase namorei uma Larissa (outra, claro). Logicamente ela não gostava de ter uma xará tão próxima. Ficava pistola. Eu rosnava para a ideia.

Mas voltando ao assunto. Meu sobrenome propõe vários trocadilhos: Cimatti, que parece 'se matar'. Sofri bullying, viu? Me sugeriram 'Cimatti de ler', mas é brega. 'Cimatti de crônica', que é pior ainda. Milton Neves me chama de Tesonildo por causa da vontade de arrumar entrevista para o programa de domingo da Rádio Bandeirantes. 'As pílulas do Tesonildo', foi a sugestão dele. Mas a ideia não decolou, se é que você me entende.

Leia também: Marta integra lista dos 20 atletas mais dominantes do mundo

Cheguei ao honesto 'de bico' conversando com o craque Cláudio Zaidan. Zaidan: que finaliza ao estilo Romário, na saída do goleiro, sem chance para defesa. Na bochecha do gol. Diferente de mim. O meu 'de bico' é do meio de campo. Sem muita firula, finta e mira. Acertei o ângulo do iG e tenho comemorado bastante.

Gol na sorte também vale, meus amigos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.