Tamanho do texto

O gol do quarto título do Chapecoense foi marcado por Diogo Roque, aos 23 minutos do segundo tempo

A Chapecoense usou a força da sua torcida para derrotar o Criciúma por 1 a 0 e sagrar-se campeã catarinense pela quarta vez. O gol do título foi marcado por Diogo Roque, aos 23 minutos do segundo tempo. A equipe ainda sofreu pressão do time visitante nos minutos finais, mas conseguiu segurar a vantagem.

O principal aliado do time campeão  foi o estádio Índio Condá. A equipe não perde em seus domínios desde o dia nove de maio de 2010. Neste domingo, só a vitória interessava já que o Criciúma havia vencido o primeiro confronto por 1 a 0.

O Criciúma não conseguiu manter a vantagem do primeiro jogo e perdeu o título estadual
AE
O Criciúma não conseguiu manter a vantagem do primeiro jogo e perdeu o título estadual

O jogo

Com a vantagem do empate, o Criciúma optou por manter a posse de bola e pouco assustou o goleiro Rodolpho, à exceção de Roni, em cobrança de falta. Já a Chapecoense, foi perigosa nos contra-ataques, principalmente com Aloísio.

Logo aos seis minutos, o atacante desperdiçou boa chance ao furar bom passe de Thoni, na entrada da área. Depois, aos dez, Aloísio chutou forte e carimbou a trave. O artilheiro ainda tentou em chute cruzado, mas parou em Andrey.

O goleiro do Criciúma ainda trabalhou bem aos 43 minutos, em uma bomba de Neílson. No rebote, ninguém do Verdão estava na pequena área para completar.

Para o segundo tempo, a Chapecoense voltou mais agressiva e, com isso, abriu espaço para que o Criciúma cria-se também. Aos três minutos, Aloísio passou por dois e chutou forte, mas a zaga se recuperou e afastou. Em resposta, Diogo Oliveira mandou uma bomba da entrada da área, para boa defesa de Rodolpho.

Do outro lado, Andrey também tava inspirado. Após Aloísio tentar o drible, da marca do pênalti, a zaga afastou, mas a bola sobrou para Neílson, que chutou forte para grande defesa do goleiro.

Schwenck teve a chance de acabar com a festa da Chapecoense, mas, cara a cara com Rodolpho, o atacante chutou para fora. A incompetência do time visitante foi castigada no minuto seguinte. Aos 23, em bola cruzada para a área, Diogo Roque subiu mais que todo mundo e abriu o placar para os anfitriões.

O gol fez o Criciúma sair para o ataque com desespero, e, abusando dos passes errados, a equipe não conseguiu marcar o gol que lhe daria o título.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.