Tamanho do texto

Homenageado pelo Corinthians, o ex-jogador criticou os atletas da NBA que se recusaram a defender o Brasil no Pré-Olímpico

O ex-jogador Oscar Schmidt fez duras críticas aos jogadores Leandrinho e Nenê, que pediram dispensa da Seleção Brasileira de basquete e não disputaram o Pré-olímpico de Mar Del Plata. Neste sábado, o Mão Santa foi homenageado na Calçada da Fama do Corinthians, clube que ele defendeu entre 1995 e 1996.

"Eles têm meu profundo desprezo. A Seleção Brasileira deve ser a coisa mais importante da vida de qualquer atleta. Eles foram autorizados pela NBA e não foram. Isso me deixou muito infeliz", afirmou.

Aproveitando a greve da NBA, Leandrinho assinou contrato com o Flamengo. O ala-armador estreia neste domingo, às 11h, em um amistoso contra o Brasília. Oscar não vê importância nenhuma nesse fato. "O importante para o desenvolvimento do basquete brasileiro era ele ter ido jogar pela Seleção Brasileira. Os caras foram para o Pré-olímpico e ele ficou treinando no Flamengo. Isso é uma vergonha", disparou.O Brasil foi vice-campeão do Pré-olímpico e garantiu vaga para as Olimpíadas de Londres, em 2012. Oscar acredita que a Seleção pode abrir mão desses jogadores em seu retorno à principal competição esportiva após 16 anos. O técnico Ruben Magnano ainda não tomou uma decisão. "Quem convoca não sou eu. Fosse eu, não levaria. Se querem jogar na Seleção, porque não vão para o Pan-americano? Olimpíadas todo mundo quer ir", argumentou.

O Mão Santa lembrou a conquista do Pan de 1987, em Indianápolis, e comparou aquele time ao atual. "Era um Brasil que jogava de graça, sem seguro algum, perdendo as férias. Mudou um pouquinho", encerrou, de forma irônica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.