Tamanho do texto

Nova reunião não acabou com o locaute, o que faz crescer o risco de a temporada inteira ser cancelada

selo

Foram mais de 30 horas de conversa, divididas entre os últimos três dias, em busca do acordo entre jogadores e a liga norte-americana de basquete dos Estados Unidos para o fim da greve da NBA. Apesar do esforço, no entanto, as partes não se acertaram e, após o novo fracasso no encontro realizado na última quinta-feira à noite, a temporada 2011/2012 deve ter mais jogos cancelados.

A liga norte-americana de basquete já havia anunciado, há dez dias, que as duas primeiras semanas da temporada, que começaria no dia 1.º de novembro, não seriam realizadas. Antes do encontro da última quinta, a expectativa era de que, se o acordo não fosse selado, o campeonato não tivesse início este ano. No entanto, a NBA ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Certo é que o impasse continua. Os jogadores lutam para manter o acordo coletivo de trabalho dos últimos anos, enquanto o outro lado quer algumas alterações para que seja firmado um novo contrato. Os principais desentendimentos entre as partes são em relação à divisão do faturamento do campeonato e o sistema de teto salarial.

Após os últimos três dias de reuniões, a situação parece ter piorado. Enquanto nos outros encontros ambas as partes se recusaram a comentar sobre o assunto, desta vez tanto os dirigentes da liga quanto os jogadores falaram. "Ultimamente temos sido incapazes de acabar com o espaço que separa as duas partes. Entendemos as ramificações de onde estamos. Estamos tristes com o que está acontecendo com o jogo", declarou Adam Silver, que substituiu o comissário da NBA, David Stern - ausente da reunião desta quinta por conta de uma gripe.

"Passamos os últimos dias fazendo todo o esforço possível para tentar encontrar uma solução. Realmente sentíamos que conseguiríamos trazer o jogo de volta e levar os jogadores de volta às quadras. Na minha opinião não é o que a NBA e a liga querem neste momento", disse o armador Derek Fisher, do Los Angeles Lakers, que também é o presidente da Associação de Jogadores de Basquetebol Nacional (NBPA, na sigla em inglês).

A paralisação da NBA começou no dia 1.º de julho, um dia após o término do antigo contrato entre jogadores e a liga. Desde então, diversas reuniões foram realizadas e as desta semana tiveram, inclusive, a participação de um mediador contratado, George Cohen. Com o seguimento do impasse, David Stern deve se pronunciar nos próximos dias. Um novo encontro entre as partes ainda não foi agendado.

    Leia tudo sobre: nba
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.