Tamanho do texto

Ala do Indiana Pacers fica indignado com comportamento do pivô do Chicago Bulls durante quinta partida da série

Danny Granger, do Indiana Pacers, teve que ser contido por companheiros de equipe para não atacar o pivô Joakim Noah, do Chicago Bulls, ao término da partida em que sua equipe foi  eliminada dos playoffs da NBA . O ala acusou o adversário de ser desleal e covarde durante o jogo realizado nesta terça-feira.

Segundo Granger, o pivô causou uma briga que levou à expulsão do ala-pivô Josh McRoberts, do Pacers. No final do terceiro quarto, Noah teria tentado acertar uma cotovelada no atleta, que, irritado, revidou a agressão. Os juízes só viram a reação de McRoberts e, por isso, não puniram o jogador do Bulls.

Depois do jogo, nos vestiários, Granger disparou críticas ao oponente. “Todos viram o que Josh fez. Mas ninguém notou o que aconteceu antes. Noah jogou sujo a partida inteira. Meus companheiros sofreram com isso e nada foi feito”, disse, indignado.

Ao ficar sabendo dos comentários do ala do Pacers, o pivô fez questão de rebater as acusações. “Eu joguei sujo? OK. Eu só estava tentando vencer. É assim que o jogo funciona. Estou apenas fazendo o que preciso fazer”, justificou Noah, que terminou a partida com 14 pontos, oito rebotes e quatro bloqueios.

McRoberts, principal prejudicado pelo suposto jogo sujo do pivô do Bulls, não se mostrou tão indignado quanto o companheiro de time e não concordou com as acusações. “Não estou bravo com isso. Ele me deu uma pancada. Os juízes viram eu revidar. É parte do jogo. Não vou dizer que ele é sujo”, disse o ala-pivô.

Depois do jogo, Danny Granger cumprimentou todos os jogadores do Chicago Bulls – menos Noah – e disse que torce para que ganhem o título da NBA. O próximo desafio da equipe comandada por Tom Thibodeau sai do vencedor da série entre Orlando Magic e Atlanta Hawks, liderada pela equipe da Geórgia por três jogos a dois.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.