Tamanho do texto

Depois de fazer bela figura no Intercontinental, vendendo caro a derrota para Real Madrid, e de se ser convidado para jogar amistosos contra times da NBA, Bauru está fora do Estadual

Alex Garcia, ala-armador do Bauru, com o troféu de vice mundial
Gaspar Nóbrega/FIBA Americas
Alex Garcia, ala-armador do Bauru, com o troféu de vice mundial


No intervalo do jogo entre Mogi das Cruzes e San Martín, pela Liga Sul-Americana de basquete, um triste anúncio fez a torcida vibrar. O locutor do ginásio Hugo Ramos anunciou que Mogi está classificado para as semifinais do Paulista. É que seu adversário nas quartas de final, o Bauru, campeão da Liga das Américas e atual bicampeão estadual, vai viajar neste sábado para os Estados Unidos, onde disputará dois amistosos contra o New York Knicks (no dia 7) e Washington Wizards (dia 11). Dessa forma, não poderá estar presente nos jogos 3 e 4 dos play-offs de quartas de final do Paulista, marcados para este sábado (dia 3) e domingo (4). Mogi liderava a série por 2 a 0.

O presidente da Federação Paulista, Enyo Correia, que assumiu o cargo no último dia 30, após o falecimento de Tony Chakmati, que detinha o cargo, disse que não lhe restou alternativa senão decretar a derrota por WO de Bauru. "É horrorosa essa solução. A última coisa que eu queria fazer era excluir Bauru, mas não tive outra escolha".

A direção do Bauru ficou indignada com o desfecho do caso, mas eximiu Correia de culpa. "Ele até tentou encontrar alguma data. Pensamos em realizar jogos hoje (sexta-feira) e amanhã pela manhã, mas ficou difícil, porque Mogi está disputando a Liga Sul-Americana. Tentamos antecipar por várias vezes o início da série com Mogi, mas não fomos atendidos. Isso é culpa dessa gestão catastrófica da Federação Paulista, que não tem planejamento nenhum", diz o gestor do Paschoalotto/Bauru, Vitor Jacob.

Leia mais: Andrés Nocioni, o argentino que todos amam odiar, conquista o Real Madrid

Correia evita atribuir responsabilidade a seu antecessor no cargo. "Não posso culpar ninguém. Herdo o cargo, os louvores e dissabores. Vou me abster de fazer qualquer comentário". O novo presidente da Federação explicou que o calendário se enrijeceu porque a Liga Nacional de Basquete, que organiza o NBB, não topa alterar o início da temporada 2015/16, que será no dia 3, entre Bauru e Flamengo. "Você lembra o que ocorreu dois anos atrás. As datas do Paulista conflitaram com as do NBB. A Federação alterou três vezes as datas de jogos do Paulista. A ESPN Brasil ficou vendida e teve que exibir os jogos da final no ESPN +, o terceiro canal deles. Daquela vez, Bauru foi campeão e reclamou porque as finais foram transmitidas por um canal que ninguém assiste".

As datas das finais do Paulista são inalteráveis, segundo Correia, por causa das amarras impostas pelo contrato com a RedeTV!, que transmite o Estadual. Estão reservados os dias 17 e 24. A inflexibilidade da Federação Paulista pode acarretar consequências drásticas, segundo Jacob. "Não sei se o nosso patrocinador vai querer que nós disputemos o Paulista na próxima temporada. Pode ser que reservemos esse período para fazer nossa preparação para o NBB", diz Jacob. "Somos vítimas do nosso próprio sucesso", conclui tristemente o dirigente. Os compromissos de Bauru se multiplicaram devido à conquista da Liga das Américas. O time de Guerrinha disputou o Intercontinental, contra o Real Madrid, no final de semana passado, e convidado para disputar amistosos contra equipes da NBA graças àquele troféu.