iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Basquete

03/12 - 09:00

Confira as dez escolhas do Draft mais fracassadas da década
Conheça os jogadores que entraram na liga cercados de boas expectativas, mas que não conseguiram corresponder

Luís Araújo, iG São Paulo

A história de fracassos no NBA Draft não é pequena. E continuará a ser contada, pois a mudança para a liga profissional muitas vezes é traumática e, por isso, vários jogadores que chegam recheados de expectativas acabam fracassando.

São jogadores que não conseguem se adaptar ao estilo de jogo, ao calendário puxado e repleto de partidas, à cultura norte-americana e também ao estrelato.

Este iG selecionou os dez maiores fracassos do recrutamento desta década. Jogadores que vieram do high school (ensino médio), do basquete universitário e da Europa, que desembarcaram na NBA, mas que nunca conseguiram jogar o que deles se esperava.

Confira abaixo a relação:

Reprodução

KWAME BROWN

Posição no Draft: primeira escolha
Ano de Recrutamento: 2001
Selecionado por: Washington Wizards
Escola: Glynn Academy in Brunswick (High School)
Médias na NBA: 6,6 pontos e 5,4 rebotes por jogo
Equipe atual: Charlotte Bobcats
 
Despontou como um dos atletas do high school (ensino médio) mais promissores dos EUA neste início de década e despertou o interesse de Michael Jordan, proprietário do Washington Wizards na época. Acabou selecionado pelo time da capital norte-americana e tornou-se o primeiro atleta de ensino médio a ser Draft número 1. Mas sempre esteve bem longe de corresponder às expectativas que foram criadas em torno de si.
 
Na sua primeira temporada, contribuiu muito pouco com o Washington, apresentando médias de apenas 4,5 pontos e 3,5 rebotes por partida. Após mais três campeonatos disputados com o Wizards, passou por Los Angeles Lakers, Memphis Grizzlies e Detroit Pistons e atualmente defende o Charlotte Bobcats. Nunca deixou saudade por onde passou e até hoje rende gozações a Jordan.

Getty Images

NIKOLOZ TSKITISHVILI

Posição no Draft: quinta escolha
Ano de Recrutamento: 2002
Selecionado por: Denver Nugets
Time: Benetton Treviso
Médias na NBA: 2,9 pontos e 1,8 rebote por jogo
Equipe atual: sem registro

O ala-pivô natural da Geórgia foi a quinta escolha do Draft de 2002, à frente do brasileiro Nenê Hilário. Atraiu a atenção do Denver Nuggets após ter sido um dos destaques do título italiano do Benetton Treviso daquele mesmo ano. E há quem se questiona até hoje o que a franquia do Colorado enxergou no jogador.

Tsitishvili deu amostras de que pouco acrescentaria na NBA já na sua primeira temporada, quando apresentou médias de 3,9 pontos e 2,2 rebotes em cerca de apenas 16 minutos por jogo. Jamais conseguiu encontrar seu espaço na equipe e registrou números ainda piores nos anos seguintes. Depois de passagens ainda mais apagadas por Golden State Warriors, Minnesota Timberwolves e Phoenix Suns, voltou ao basquete europeu em 2006. E por lá permanece até hoje.

Getty Images

DARKO MILICIC

Posição no Draft: segunda escolha
Ano de Recrutamento: 2004
Selecionador por: Detroit Pistons
Time: Hemofarm
Médias na NBA: 5,8 pontos e 4,2 rebotes por jogo
Equipe atual: Minnesota Timberwolves

LeBron James foi a primeira posição do Draft de 2003. O Detroit Pistons, que tinha direito à escolha seguinte, optou pelo ala-pivô sérvio Darko Milicic. Dessa forma, a franquia de Michigan deixou para trás jogadores que se tornariam grandes astros da NBA, como Carmelo Anthony, Chris Bosh e Dwyane Wade.

Foi campeão já no primeiro ano como profissional. Mas sua participação na conquista foi quase nula: atuou menos de cinco minutos por partida. Defende atualmente o Minnesota Timberwolves, após também ter passado por Orlando Magic, Memphis Grizzlies e New York Knicks. Com médias de 9,1 pontos, 6,2 rebotes e 2,9 tocos por jogo, vem fazendo a sua melhor temporada da carreira. Mas é muito pouco para justificar o fato de ter sido recrutado antes de três das maiores estrelas da liga.

Getty Images

EDDY CURRY

Posição no Draft: quarta escolha
Ano de Recrutamento: 2001
Selecionador por: Chicago Bulls
Escola: Thornwood in South Holland (High School)
Médias na NBA: 13,3 pontos e 5,3 rebotes por jogo
Equipe atual: New York Knicks

O pivô saiu direto do ensino médio para a NBA. Aos 18 anos, foi a quarta escolha do Draft de 2001 e juntou-se ao Chicago Bulls, que atravessava um processo de reformulação. Durante os seus quatro primeiros anos na liga, teve desempenho satisfatório e ajudou a equipe a alcançar os playoffs em 2005.

Em seguida, foi negociado com o New York Knicks. Viveu seu auge na temporada 2006/07, quando registrou médias de 19,5 pontos e 7,0 rebotes por partida. Mas a dificuldade em se manter em forma fez com que a sua carreira se estagnasse a partir daí, bem no momento em que muitos imaginavam que ele se consolidaria como um dos grandes pivôs da liga. Somando as três últimas temporadas, participou de somente dez partidas.

Getty Images

ADAM MORRISON

Posição no Draft: terceira escolha
Ano de Recrutamento: 2006
Selecionador por: Charlotte Bobcats
Escola: Gonzaga University
Médias na NBA: 7,5 pontos e 2,1 rebotes por jogo
Equipe atual: desempregado

Chegou à NBA em 2006, selecionado pelo Charlotte Bobcats na terceira posição do recrutamento. A franquia esperava contar com o mesmo bom desempenho que o ala apresentou ao longo dos três anos que defendeu a Universidade de Gonzaga. Mas não foi isso o que aconteceu.

Já no primeiro ano, perdeu a vaga de titular da equipe. No ano seguinte, sofreu uma grave lesão no joelho esquerdo que o deixou afastado de toda a temporada 2007/08. Quando voltou a jogar, viu que tinha cada vez menos espaço na equipe. Em 2009, foi envolvido numa negociação com o Los Angeles Lakers. Fez parte do elenco bicampeão da equipe californiana, mas teve participação praticamente nula nas conquistas. Atualmente, encontra-se sem time.

Getty Images

GREG ODEN

Posição no Draft: primeira escolha
Ano de Recrutamento: 2007
Selecionador por: Portland Trail Blazers
Escola: Ohio State University
Médias na NBA: 9,4 pontos e 7,3 rebotes por jogo
Equipe atual: Portland Trail Blazers

O pivô precisou de apenas um ano no basquete universitário para chamar a atenção do Portland Trail Blazers. A franquia o selecionou como a primeira escolha do Draft de 2007 e esperava ter adquirido um jogador que dominaria os garrafões da NBA pela próxima década. Mas uma série de lesões atrapalharam as metas que o time tinha traçado em torno de Oden.

Uma cirurgia no joelho direito o fez perder toda a sua temporada de estreia. Fez o seu debute somente no ano seguinte e teve desempenho discreto: 8,9 pontos e 7,0 rebotes em cerca de 21 minutos por jogo. Demonstrava estar subindo de produção durante a temporada 2009/10 quando sofreu uma nova lesão no joelho – desta vez, o esquerdo. Oden não atua desde então e perderá também todo o atual campeonato.

Getty Images

SHAUN LIVINGSTON

Posição no Draft: quarta escolha
Ano de Recrutamento: 2004
Selecionador por: Los Angeles Clippers
Escola: Peoria Central (High School)
Médias na NBA: 5,6 pontos e 4,2 assistências por jogo
Equipe atual: Charlotte Bobcats

Outro jogador que ingressou na NBA bastante jovem, vindo direto do ensino médio. Com apenas 18 anos, teve seu nome chamado pelo Los Angeles Clippers na quarta escolha do Draft de 2004. As contusões durante os três primeiros anos como profissional o limitaram a apenas 101 jogos em 246 possíveis e comprometeram o seu desenvolvimento.

Mas foi uma grave lesão no joelho esquerdo, que ocorreu em fevereiro de 2007, que quase encerrou a sua carreira de forma precoce. Livingston só voltou a jogar no ano seguinte. Teve passagens rápidas por Miami Heat, Oklahoma City Thunder e Washington Wizards. Atualmente, defende o Charlotte Bobcats e participou de todos as partidas que a equipe disputou na temporada. Mas dificilmente assumirá papel de destaque na liga futuramente.

Getty Images

HASHEEM THABEET

Posição no Draft: segunda escolha
Ano de Recrutamento: 2009
Selecionador por: Memphis Grizzlies
Escola: University of Connecticut
Médias na NBA: 2,7 pontos e 3,2 rebotes por jogo
Equipe atual: Memphis Grizzlies

O pivô de 2m21 se destacou ao longo dos três anos que atuou pela Universidade de Connecticut, sobretudo defensivamente. Houve até quem o comparasse com Dwight Howard. Foi acreditando nisso que o Memphis Grizzlies o selecionou no Draft de 2009, logo na segunda escolha. Mas Thabeet parece ainda não ter se encontrado na NBA.

Foi muito pouco utilizado pelo treinador Lionell Hollins na sua primeira temporada. Sua participação na rotação da equipe era tão baixa que ele chegou até a passar um período na Liga de Desenvolvimento. Teve médias de apenas 3,1 pontos e 3,6 rebotes em cerca de 13 minutos por jogo. E por incrível que pareça, seu rendimento tem sido ainda mais insignificante neste ano.

Getty Images

JOE ALEXANDER

Posição no Draft: oitava escolha
Ano de Recrutamento: 2008
Selecionador por: Milwaukee Bucks
Escola: West Virginia University
Médias na NBA: 4,2 pontos e 1,8 rebote por jogo
Equipe atual: Texas Legends (NBDL)

O Milwaukee Bucks o selecionou na oitava posição do Draft de 2008, interessado na ótima capacidade atlética que o jogador demonstrou no basquete universitário. Mas Alexander não teve muito espaço no time durante a temporada de calouro. No ano seguinte, com a saída do então ala titular Richard Jefferson, muitos imaginavam que ele ganharia mais oportunidades. O que aconteceu, no entanto, foi o oposto disso.

Alexander passou quase todo o segundo ano de profissional na D-League. Foi envolvido no meio da temporada numa troca com o Chicago Bulls. Disputou somente oito partidas na nova equipe e não teve seu contrato renovado. Acabou retornando para a Liga de Desenvolvimento.

Getty Images

SHELDEN WILLIAMS

Posição no Draft: quinta escolha
Ano de Recrutamento: 2005
Selecionador por: Atlanta Hawks
Escola: Duke University
Médias na NBA: 4,5 pontos e 4,0 rebotes por jogo
Equipe atual: Denver Nuggets
 
A passagem por Duke foi tão marcante que a Universidade resolveu retirar o seu número 23. O Atlanta Hawks, que tinha direito à quinta escolha do Draft de 2006, o recrutou. Seu papel no time, no entanto, sempre foi bastante discreto. Teve passagens por Sacramento Kings, Minnesota Timberwolves e Boston Celtics e nunca conseguiu se firmar em lugar algum.
 
Assinou como agente livre com o Denver Nuggets para a disputa da atual temporada, e vem tendo o melhor desempenho da carreira com a camisa da equipe do Colorado. Beneficiado pela contusão de Kenyon Martin, foi titular em todas as partidas realizadas pelo time e registra médias de 5,7 pontos e 6,2 rebotes por jogo.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias