Tamanho do texto

Grandes categorias, como Indy, MotoGP e Stock Car, tiveram acidentes fatais. Relembre

A temporada de 2011 foi trágica para o automobilismo. Acidentes fatais nas principais categorias internacionais e nacionais acabaram com as vidas de Dan Wheldon , Marco Simoncelli e Gustavo Sondermann .

Veja também: Confira as principais notícias de automobilismo

Wheldon morreu em Las Vegas, na última etapa da temporada da IndyCar , disputada no dia 16 de outubro. O piloto sequer fazia parte do grid fixo da categoria e competiu na prova apenas por conta do prêmio milionário oferecido pela organização. Ele também havia participado (e vencido) das 500 milhas de Indianápolis neste ano.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Vítima de um acidente que envolveu 15 carros , Wheldon recebeu várias homenagens póstumas. O britânico, que foi campeão da categoria em 2005, vai batizar o chassi da Indy na próxima temporada .

Exatamente uma semana após a morte de Wheldon, foi a vez de Marco Simoncelli sofrer acidente fatal. O piloto caiu de sua moto durante a etapa da Malásia da MotoGP e acabou atingido por Colin Edwards e Valentino Rossi, que não tiveram tempo hábil de desviar.

Assim como Wheldon, Simoncelli também recebeu homenagens após sua morte. O circuito de San Marino será rebatizado com o nome do piloto italiano .

No Brasil, o ano também foi marcado por uma fatalidade. No dia 3 de abril, em Interlagos, Gustavo Sondermann morreu durante uma prova da Copa Montana, categoria de apoio da Stock Car .

Contando as principais categorias do automobilismo internacional – Fórmula 1 , Indy e MotoGP – e a mais importante do calendário nacional – a Stock Car – não aconteciam três mortes em um mesmo ano desde 1977 .

Além disso, em uma categoria doméstica argentina, o jovem Guido Falaschi, de apenas 22 anos, também morreu após acidente .

Fatalidade no Motocross

Também neste ano, Swian Zanoni, uma das principais promessas do Motocross brasileiro, morreu após acidente em Orizânia (MG). O piloto, que foi o único representante do país no mundial da categoria, participava de um evento não homologado pela Confederação Brasileira de Motocross (CBM).

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.