Tamanho do texto

Pela segunda vez, alemão ignora ordens da equipe e crava melhor giro da corrida ao cruzar a linha de chegada

Neste domingo (30), Sebastian Vettel não encontrou oposição para vencer o Grande Prêmio da Índia . O alemão fez um Grand Chelem - largou na pole, liderou de ponta a ponta e fez a melhor volta da corrida. O piloto, que garantiu seu bicampeonato mundial e o título de construtores da Red Bull por antecipação, não teve adversários nessa temporada. Por isso, nas últimas corridas, ele parece ter encontrado uma nova motivação: fazer a volta mais rápida das provas.

Veja também: Sebastian Vettel lidera de ponta a ponta e vence o GP da Índia

No Grande Prêmio da Coreia , Vettel, que também liderava tranquilamente, passou a imprimir um ritmo forte nas voltas finais em busca da marca. Pelo rádio, a equipe, preocupada, avisou que a situação era tranquila e que ele podia desacelerar. Mesmo assim, ele pisou fundo e, no giro final, desbancou Lewis Hamilton e fez a volta mais rápida da corrida.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Após a prova, Vettel admitiu que foi “estúpido” por tentar alcançar a marca . Neste domingo, no entanto, ele repetiu a dose.

Na penúltima volta, o alemão acelerou e tirou o giro mais rápido de seu companheiro de equipe, o australiano Mark Webber, que perseguia Fernando Alonso para tentar assumir a terceira colocação. A Red Bull então avisou Vettel que ele já tinha a melhor volta e podia relaxar. Mas ele mais uma vez superou a marca.

Compatriota de Vettel, Michael Schumacher tinha, durante seu heptacampeonato, uma marca registrada. O alemão costumava estabelecer as voltas mais rápidas antes de parar no pit stop, para tentar abrir vantagem e não perder posições. O bicampeão pode criar algo semelhante ao cravar o melhor giro no fim das provas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.