Tamanho do texto

Após 2º lugar do piloto no GP da Malásia, aumentaram os rumores de que ele poderia substituir Massa na Ferrari

O mexicano Sergio Pérez, segundo colocado no GP da Malásia , foi contundente ao afirmar que vai continuar na Sauber até o final desta temporada. Isso após rumores de que ele já estaria conversando com a Ferrari sobre uma possível substituição a Felipe Massa.

Leia também: Chefe da Ferrari promete proteger Massa após início ruim

Mesmo antes do ótimo resultado do piloto da Sauber na prova desse domingo (25), já existiam especulações apontando para a saída de Massa da escuderia italiana antes do final do ano. No entanto, Pérez negou a possibilidade de trocar de equipe em 2012.

"Meu compromisso total é com minha escuderia, a Sauber”, afirmou o mexicano. “Claro que são apenas rumores, mas não. Vou continuar com a Sauber por toda a temporada”, completou.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Apesar da Ferrari também ter descartado a troca e apoiado Massa, o chefe da McLaren, Martin Whitmarsh, acredita que a pressão sobre o brasileiro está ainda mais forte agora. “Imagino que Pérez colocou um tanto de pressão em Massa. Não sei quais são as chances do piloto mudar de equipe antes da China, mas deve haver algumas considerações lá”, disse em entrevista ao canal Sky Sports .

Fernando Alonso, vencedor do GP da Malásia e companheiro de Massa, elogiou o mexicano, que faz parte da Academia de Pilotos da escuderia italiana. “A Academia de Pilotos está realizando um ótimo trabalho com os jovens talentos e acho que Sergio está lá porque a Ferrari viu um grande talento nele. Dessa vez sua vitória não foi possível, mas acredito que um triunfo virá mais cedo ou mais tarde para ele”, avaliou o bicampeão mundial.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros leitores

No entanto, Alonso defendeu a presença do brasileiro na equipe: “No momento, com Felipe, somos uma equipe muito forte, muito unida e não vejo qualquer possibilidade de não correr ao lado de Felipe. Ele teve alguns problemas na Austrália, mas aqui, com algumas mudanças no carro, ele estava competitivo. Ele largou em 12º e, quando foi dada a bandeira vermelha, já estava em oitavo. Então acho que, em uma corrida normal e quando o carro melhorar, eu e Felipe precisamos subir ao pódio juntos”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.