Tamanho do texto

Presidente da escuderia italiana disse que modificações na categoria deixaram as corridas "artificiais"

Em entrevista à revista alemã AutoBild , o presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, disse que não há qualquer garantia de que a escuderia italiana permanecerá na Fórmula 1 em 2013. De acordo com Montezemolo, a categoria tornou-se “muito artificial” com a inclusão da asa traseira móvel e dos pneus com degradação muito rápida.

As mudanças foram feitas para que aconteçam mais ultrapassagens durante as provas. Mas, para Montezemolo, essas ultrapassagens são “artificiais”. O presidente da Ferrari também criticou o volante dos carros. “O volante agora é um computador revestido de botões. Os fãs não entendem mais nada”, afirmou.

O contrato das equipes na categoria termina no final de 2012 e Montezemolo disse que não descarta a possibilidade da Ferrari deixar a categoria. “O contrato acaba no fim de 2012. Precisamos discutir e ver o que fazer”, disse.

“A Ferrari continuará no seu lugar, mas isso se o esporte nos der de retorno algo para o desenvolvimento da tecnologia dos carros que produzimos. Caso contrário, não participaremos mais”, concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.