Tamanho do texto

FIA não confirmou se a asa móvel poderá ser acionada em uma ou duas retas no circuito de Sepang

Felipe Massa teme que asas traseiras tornem ultrapassagens muito fáceis na Malásia
AP
Felipe Massa teme que asas traseiras tornem ultrapassagens muito fáceis na Malásia
As novas asas traseiras móveis continuam gerando algumas polêmicas na Fórmula 1. Para o segundo Grande Prêmio da temporada, na Malásia, que acontecerá no próximo domingo, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) ainda não confirmou em quais pontos da pista o sistema poderá ser usado.

A ideia inicial é que os pilotos possam ativar a asa traseira apenas na reta dos pits. Mas, como em Sepang a reta oposta é maior do que a da largada, há a possibilidade do seu uso ser permitido nas duas retas. Essa chance assusta o brasileiro Felipe Massa, que crê em perda de emoção caso isso seja confirmado.

"A decisão certa pode tornar a corrida mais interessante para os pilotos e torcedores. Pessoalmente, não tenho certeza que permitir as asas nas duas retas é a melhor opção, porque acho que tornaria as ultrapassagens muito fáceis. É preciso ter o balanço correto entre ajudar na ultrapassagem e deixá-la muito fácil”, afirmou.

O piloto da Ferrari terminou a corrida de Melbourne na sétima colocação, o que lhe garantiu seis pontos no Mundial de pilotos. Mas o resultado não agradou o brasileiro, que disse esperar muito trabalho por parte da escuderia italiana para chegar melhor na Malásia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.