Tamanho do texto

Com 32 pontos a menos que Jenson Button e envolvido em polêmicas, britânico vive situação inédita: ser o segundo piloto da McLaren

A temporada 2011 da Fórmula 1 definitivamente não deixará saudades para Lewis Hamilton. Acostumado a ser o piloto número 1 da McLaren desde que entrou na categoria, em 2007, o britânico se vê em uma situação inusitada na carreira: está 32 pontos atrás de seu companheiro de equipe, Jenson Button. Enquanto a consistência e a cautela de Button o colocaram na vice-liderança do Mundial , a ousadia de Hamilton na pista tem se traduzido apenas em erros e confusões.

Leia também:
Hamilton lamenta quinto lugar no GP do Japão

Os britânicos Jenson Button e Lewis Hamilton são companheiros de equipe na McLaren. Nesta temporada, o primeiro tem levado a melhor sobre o segundo
Getty Images
Os britânicos Jenson Button e Lewis Hamilton são companheiros de equipe na McLaren. Nesta temporada, o primeiro tem levado a melhor sobre o segundo

Em cinco temporadas na categoria, todas como piloto da McLaren, Hamilton já dividiu a garagem da escuderia britânica com Fernando Alonso (2007), Heikki Kovalainen (2008 e 2009) e Jenson Button (2010 e 2011). No entanto, ele nunca havia estado em tamanha desvantagem em relação a um companheiro, correndo o risco de, pela primeira vez em sua carreira, terminar a temporada atrás do outro piloto da equipe.

Logo em seu ano de estreia na F1, Hamilton já encarou um grande desafio: correr ao lado do bicampeão Fernando Alonso. Mas o novato surpreendeu e acabou a temporada à frente do espanhol, na segunda colocação do mundial – apenas um ponto atrás do campeão Kimi Raikkonen. Para os companheiros de McLaren, a temporada foi extremamente equilibrada. Ambos terminaram o campeonato com 109 pontos, 4 vitórias e 12 pódios, mas o britânico chegou mais vezes em segundo, garantindo a vantagem na classificação.

No ano seguinte, Hamilton se sagrou campeão e não sofreu ameaça alguma de seu novo parceiro na McLaren, Kovalainen, que terminou a temporada em sétimo. O britânico foi muito superior a Kovalainen também em 2009 – em um ano difícil para a equipe. Hamilton terminou em quinto no campeonato, com duas vitórias, enquanto seu companheiro não chegou a subir ao pódio e foi apenas 12º.

No ano passado, a disputa interna na McLaren foi um pouco mais acirrada. Com o campeão de 2009, Jenson Button, substituindo Kovalainen, Hamilton chegou a ficar com uma desvantagem de 21 pontos na quinta etapa da temporada. Porém, três corridas depois, no Canadá, ele já havia se recuperado e se manteve à frente de Button até o final do campeonato - Hamilton terminou 2010 com 240 pontos, enquanto seu companheiro marcou 214.

Na atual temporada, Button e Hamilton vivem situações opostas: enquanto o primeiro vem crescendo no campeonato e subiu ao pódio em todas as últimas cinco corridas, o segundo teve um bom início de ano, mas seu rendimento caiu no segundo semestre. Se o desempenho de Hamilton caiu, o número de polêmicas em que se viu envolvido só aumentou .

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Para se ter uma ideia, a partir da 11ª etapa, na Hungria, Button venceu duas provas, teve dois segundos lugares e um terceiro, somando 101 pontos e assumindo a vice-liderança do Mundial. No mesmo período, Hamilton não subiu ao pódio, terminou duas vezes em quarto, duas vezes em quinto e abandonou um GP, marcando 44 pontos. Com isso, hoje ele está na quinta colocação do campeonato.

Button tem realizado belas provas, com boas estratégias e ultrapassagens eficientes, ganhando elogios de pilotos e críticos. Já o campeão de 2008 tem sido muito criticado por sua postura agressiva dentro das pistas e o grande número de acidentes em que tem se envolvido - em provas como Mônaco, Canadá, Bélgica, Cingapura e Japão - impede que ele consiga melhores classificações.

A quatro provas do final da temporada, Hamilton ainda tem chances de se recuperar, mas passa por uma situação que nunca viveu antes. Em toda sua carreira, ele jamais chegou a essa altura do campeonato atrás de um companheiro de equipe, nem mesmo na acirrada disputa com Alonso, em 2007.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.