Tamanho do texto

Chefe da escuderia não está contente com F2012 e diz que novas soluções trouxeram problemas

O chefe da Ferrari, Stefano Domenicali, confessou não estar contente com o primeiro resultado obtido na construção do novo carro da escuderia italiana, o F2012 , embora prefira esperar para emitir um julgamento definitivo.

Leia também: Relaxado e otimista, Hamilton diz estar pronto para a temporada

Em um encontro com a imprensa em Milão, Domenicali afirmou que será preciso aguardar pelo menos quatro corridas para saber o nível que o monoposto poderá alcançar nas mãos do espanhol Fernando Alonso e do brasileiro Felipe Massa.

"Não estou contente com o carro porque não alcançamos o objetivo prefixado, não porque sejamos mais lentos que os demais. Não estou contente com a forma como nasceu o carro, mas o Mundial é bastante longo", avaliou o dirigente.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

"Tínhamos pedido aos engenheiros um carro extremo para recuperar a diferença frente à Red Bull. Eles nos deram uma solução de grande potencial (os sistemas de escapamento), mas que comporta ainda uma diminuição da sustentação e um superaquecimento dos pneus. Começamos de um modo diferente", explicou.

Essas palavras acompanham a linha de pessimismo do diretor técnico da Ferrari, Pat Fry, que descartou a possibilidade de um pódio na primeira corrida do ano , na Austrália, em 18 de março.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros leitores

No entanto, Domenicali demonstrou confiança em Felipe Massa, que "amadureceu" e hoje, em sua opinião, tem uma relação melhor com Alonso. "Pela primeira vez eles se falaram por telefone após os testes para trocar impressões", revelou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.