Tamanho do texto

Circuito das Américas ainda não recebeu os direitos para sediar corrida de Fórmula 1

A paralisação nas obras do Circuito das Américas, que está sendo construído em Austin para sediar o Grande Prêmio dos Estados Unidos de 2012, ameaça a realização da prova. Desentendimentos entre a Full Throttle Productions, empresa promotora do evento, e os organizadores da pista interromperam a construção.

Veja também: Razia estreia nos testes para jovens pilotos deste ano

A crise foi gerada porque, para a corrida acontecer, os direitos de promoção da corrida precisam ser transferidos para o Circuito das Américas, o que ainda não aconteceu.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

“Gastamos recursos enormes nos preparando para os campeonatos da Fórmula 1 e da MotoGP , mas a falha na entrega dos contratos das corridas nos causa grande preocupação. Acreditamos que nosso país é vital para o futuro da Fórmula 1, de suas equipes e de seus patrocinadores. Mais de 100 mil fãs expressaram interesse em comprar ingressos para a Fórmula 1”, disse Bobby Epstein, um dos fundadores do Circuito das Américas.

No entanto, os promotores da prova rebateram, afirmando que os assuntos pendentes são de responsabilidade dos organizadores do circuito.

“Depois de anos de esforço para levar a F1 para Austin, a Full Throttle Productions fez, assim como a cidade, o estado e o país, tudo que era possível. É responsabilidade do Circuito das Américas concluir o negócio”, disse a empresa, por meio de um comunicado.

Se a crise não for resolvida a tempo, o GP dos Estados Unidos pode ser excluído da nova versão do calendário de 2012 da Fórmula 1, que deverá ser anunciado no começo de dezembro. No fim de semana do GP de Abu Dhabi, Bernie Ecclestone admitiu dificuldades para manter a prova americana no calendário.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.