Tamanho do texto

O "Professor", como era chamado na categoria, ficou conhecido por salvar a vida de vários pilotos e pela grande amizade com Ayrton Senna

Morreu nesta quarta-feira (12), aos 84 anos, de câncer, o Doutor Sid Watkins, médico que durante mais de 25 anos trabalhou cuidando dos pilotos da Fórmula 1 . O britânico ficou famoso no Brasil por conta de sua forte relação com Ayrton Senna, de quem era grande amigo.

Leia também: Trocas em Ferrari, McLaren e Mercedes podem mudar cara da F1 em 2013

Watkins, inclusive, foi responsável pelo primeiro atendimento ao tricampeão após seu acidente fatal no Circuito de Ímola, em 1994, ainda na pista. Conhecido como “Professor” no meio da F1, era um personagem muito querido e respeitado pelos pilotos.

Bruno Senna foi um dos que lamentou a morte do doutor. "Descanse em paz, professor Sid Watkins. Triste para nós que ficamos por aqui", escreveu o sobrinho de Ayrton em sua conta no Twitter.  

Deixe seu recado e comente esta notícia com outros leitores

Foi em 1978 que o britânico entrou para a categoria mais importante do automobilismo mundial e só a deixou em 2005. Durante esse período, ele presenciou a morte de grandes estrelas, como Senna e Gilles Villeneuve. Mas também salvou vários pilotos, entre eles Mika Hakkinen, Gehrard Berger e Rubens Barrichello. O brasileiro da Indy também homenageou o médico. "Devo minha vida ao professor Sid Watkins. Foi ele que me salvou em Ímola em 1994. Uma pessoa alegre e competente. Lembarei sempre de ti, amigo". 

Watkins participou diretamente na evolução da segurança da F1. Ele é apontado como um dos responsáveis pela modernização de carros e equipamentos que fizeram com que, desde 1994, nenhuma morte tenha acontecido na categoria.

Sid Watkins (foto) trabalhou na Fórmula 1 durante mais de 25 anos
Reprodução
Sid Watkins (foto) trabalhou na Fórmula 1 durante mais de 25 anos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.