Tamanho do texto

Britânico vê finlandês se aproximar no fim, mas mantém a ponta e chega à sua segunda vitória na temporada. Bruno Senna fica em sétimo, e Massa é o nono

O britânico Lewis Hamilton venceu o GP da Hungria de Fórmula 1 neste domingo (29) após segurar o finlandês Kimi Raikkonen no fim. O piloto da Lotus diminuiu a diferença para menos de um segundo nas últimas voltas, mas não se aproximou o suficiente e terminou em segundo. O triunfo é o segundo do britânico da McLaren na temporada e coloca o piloto de volta à briga pelo título antes da pausa da F1 em agosto.

Além de Raikkonen, que fez uma ótima prova, o francês Romain Grosjean chegou em terceiro e completou o pódio em uma boa corrida para a Lotus . Com uma estratégia de três paradas, Sebastian Vettel fez ótimas voltas no fim, mas não conseguiu chegar em Grosjean e foi o quarto colocado, deixando Fernando Alonso, líder do campeonato , na quinta posição, à frente de Jenson Button.

Leia também: Antes das férias da F1, Alonso abre 40 pontos de vantagem no Mundial

Depois de largar na nona posição, Bruno Senna conseguiu fazer uma corrida muito consistente e terminou em sétimo , alcançando seu objetivo de pontuar novamente. Após chegar próximo de Senna no fim, Mark Webber foi o oitavo, terminando à frente de Felipe Massa. Nico Rosberg, da Mercedes, completou a lista dos dez primeiros.

Schumacher começa dos boxes após largada abortada e Senna deixa Massa para trás

Logo no início da prova, Michael Schumacher teve problemas. A largada da corrida foi abortada e o piloto alemão desligou o motor de sua Mercedes. Com isso, teve de largar dos boxes e voltou na última posição. Porém, a situação se complicaria ainda mais, quando o piloto acabou tomando uma punição de um drive-through, já que ultrapassou o limite de velocidade dentro do pitlane.

Apesar de a corrida ter começado sem nenhum incidente ou choque, a briga foi boa depois da largada nas primeiras posições. Depois de largar na pole position , Hamilton manteve a posição à frente de Grosjean, mas Button deixou Vettel para trás e assumiu a terceira colocação da prova. Em uma bela manobra para cima de Raikkonen, Alonso assumiu a quinta posição, deixando o finlandês em sexto.

Webber, que havia largado em 11º, foi o que melhor começou a prova. O australiano da Red Bull já ocupava a sétima posição nas primeiras voltas. Logo atrás dele, Senna conseguiu deixar Massa para trás e foi para oitavo. Companheiro de Senna, Maldonado não começou bem. Depois de largar em oitavo, foi para 12ª posição.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros leitores

Grosjean volta de pneus macios após primeira parada e pressiona Hamilton

A única mudança de posição entre os pilotos que ocupavam as primeiras posições da prova após a parada nos boxes foi com Raikkonen, que conseguiu voltar na quinta colocação à frente de Alonso, que voltou para sexto. Em décimo, Rosberg conseguiu deixar Hulkenberg para trás também após trocar seus pneus.

Depois das paradas, a corrida começou a apresentar duas brigas por posições. A primeira foi pela liderança. O francês Grosjean voltou com pneus macios e começou a fazer as voltas mais rápidas da prova em sequência. Com isso, rapidamente se aproximou de Hamilton para pressionar o britânico pela liderança.

Outra disputa que começou após a primeira parada foi pelo terceiro lugar. Assim como Grosjean, Vettel voltou de pneus macios e foi para cima de Button, que estava com os médios. Com poucos pontos de ultrapassagem na pista, porém, nenhum dos dois pilotos conseguiu ameaçar os carros da McLaren, que voltaram aos boxes para a segunda troca de pneus ainda na frente de seus concorrentes.

Raikkonen assume a segunda posição após ótimo trabalho entre as duas paradas

Com um ótimo trabalho entre a primeira e a segunda parada, o finlandês da Lotus conseguiu deixar Button, Vettel e Grosjean para trás e assumiu a vice-liderança da prova. A saída do pit foi um dos momentos mais emocionantes da prova: o finlandês voltou exatamente ao lado de Grosjean, seu companheiro. Com uma disputa até o fim da curva, Raikkonen conseguiu deixar o francês em terceiro e foi para cima de Hamilton para tentar brigar pela liderança.

Enquanto isso, Vettel se aproveitou da segunda parada nos boxes para deixar Button para trás. O britânico da McLaren foi o primeiro da parte da frente a parar. Porém, com pneus macios, voltou atrás de Senna, que ainda não havia parado, e não conseguiu ultrapassar o brasileiro, o que prejudicou bastante sua prova.

A Red Bull também conseguiu fazer um bom trabalho com Webber, que conseguiu deixar Alonso para trás e assumiu a quinta posição. O espanhol ficou em sexto, à frente de Button, Senna, Massa e Rosberg, que completavam no momento os dez primeiros colocados.

Raikkonen se aproxima, mas Hamilton mantém a ponta e chega à vitória

Depois de chegar à segunda posição após a parada nos boxes, Raikkonen começou a andar muito mais rápido que Hamilton e se aproximou do britânico na briga pela liderança. O finlandês chegou a diminuir a diferença para menos de um segundo, mas diminuiu o ritmo no fim e não alcançou o britânico, que chegou à sua segunda vitória na temporada.

Grosjean completou o pódio, com Vettel logo atrás. O alemão, com três paradas, foi muito rápido no fim, mas não conseguiu chegar a tempo de ultrapassar o francês. Líder do Mundial , Alonso foi o quinto, à frente de Button. 

Assim como Vettel, Webber utilizou a estratégia de realizar três paradas e voltou rápido nas últimas voltas. O australiano até se aproximou de Senna, mas o brasileiro fez um ótimo trabalho e terminou com a sétima posição . Com a disputa dos dois à sua frente, Massa até se aproximou de Webber no fim, mas terminou a prova em nono, à frente de Rosberg, em décimo. Os dois abandonos da prova foram de Schumacher, que teve um fim de semana para esquecer na Hungria, e Narain Karthikeyan, da HRT.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Agora, a Fórmula 1 terá uma pausa em agosto. A próxima etapa da categoria será apenas no dia 2 de setembro, no circuito de Spa Francorchamps, na Bélgica.

Confira abaixo a classificação final do GP da Hungria: 

1 – Lewis Hamilton (GBR) - McLaren – 69 voltas
2 – Kimi Raikkonen (FIN) – Lotus – a 1s0
3 – Romain Grosjean (FRA) - Lotus – a 10s5
4 – Sebastian Vettel (ALE) - Red Bull – a 11s6
5 – Fernando Alonso (ESP) - Ferrari – a 26s6
6 – Jenson Button (GBR) - McLaren – a 30s2
7 – Bruno Senna (BRA) - Williams – a 33s8
8 – Mark Webber (AUS) - Red Bull – a 34s4
9 – Felipe Massa (BRA) - Ferrari – a 38s3
10 – Nico Rosberg (ALE) - Mercedes – a 51s2
11 – Nico Hulkenberg (ALE) - Force India – a 57s2
12 – Paul di Resta (GBR) - Force India – a 1m02s8
13 – Pastor Maldonado (VEN) - Williams – a 1m03s6
14 – Sergio Pérez (MEX) – Sauber – a 1m04s4
15 – Daniel Ricciardo (AUS) - Toro Rosso – a 1 volta
16 – Jean-Éric Vergne (FRA) - Toro Rosso – a 1 volta
17 – Heikki Kovalainen (FIN) - Caterham – a 1 volta
18 – Kamui Kobayashi (JAP) - Sauber – a 2 voltas
19 – Vitaly Petrov (RUS) – Caterham – a 2 voltas
20 – Charles Pic (FRA) – Marussia – a 2 voltas
21 – Timo Glock (ALE) – Marussia – a 3 voltas
22 – Pedro de la Rosa (ESP) – HRT – a 3 voltas
23 – Narain Karthikeyan (IND) – HRT – Abandonou
24 – Michael Schumacher (ALE) - Mercedes – Abandonou

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.