Tamanho do texto

Australiano faz história na Fórmula 1 e é o sexto piloto a ganhar em seis provas no ano. Massa é sexto e Bruno Senna fica em 10º

A Fórmula 1 teve mais um capítulo de sua história escrito neste domingo (27). Após largar na pole position no GP de Mônaco, Mark Webber conseguiu manter a ponta da prova até o fim e se tornou o sexto piloto a vencer em seis corridas na temporada, algo que nunca havia acontecido na categoria.

A vitória do australiano da Red Bull aconteceu em uma prova que começou com confusão e teve os pilotos durante toda a prova esperando pela chuva, que só chegou no fim, dando emoção às últimas voltas. Os seis primeiros colocados disputaram de perto até o último giro , com uma diferença de apenas 6s1 entre Webber e o sexto lugar, que foi Felipe Massa. Nico Rosberg conseguiu manter a segunda posição, com Fernando Alonso completando o pódio. Com a terceira posição, o espanhol lidera o Mundial de Pilotos de forma isolada .

Leia também: Alonso assume liderança isolada do campeonato após GP de Mônaco

Em sexto, Massa conseguiu seu melhor resultado no ano após um bom fim de semana em Monte Carlo. O brasileiro ficou atrás de Sebastian Vettel e Lewis Hamilton.

Bruno Senna também conseguiu chegar à zona de pontuação e terminou em décimo, deixando dois pilotos brasileiros no top-10 depois de oito meses . Logo atrás de Senna, vieram Paul di Resta e Nico Hulkenberg, da Force India, além de Kimi Raikkonen, da Lotus, que foi o nono.

Confusão na largada tira três da corrida

Uma confusão no início deixou a corrida com bandeira amarela até a quarta volta. Enquanto Alonso largou tentando ir para cima de Hamilton, Romain Grosjean ficou espremido do lado esquerdo do espanhol antes da primeira curva. Com isso, o piloto da Lotus tocou na Mercedes de Michael Schumacher e rodou, parando no meio da pista, o que atrapalhou os pilotos que vinham atrás. Com o acidente, o francês foi o primeiro a abandonar.

Pastor Maldonado e Pedro de la Rosa também tiveram que deixar a prova logo no início. O piloto da Williams tinha largado em último e acabou se envolvendo em confusão no pelotão de trás, juntamente com o espanhol da HRT.

A batida de Grosjean em Schumacher na largada favoreceu Massa, que ganhou duas posições e foi para quinto, logo atrás de Alonso e à frente de Vettel. Senna, que largou em 13º, também se beneficiou com a batida e chegou à décima posição. A ordem dos três primeiros não se alterou, com Webber na ponta, seguido por Rosberg e Hamilton.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros leitores

Pilotos esperam pela chuva e Vettel ganha posições de Hamilton e Massa

Com exceção de Vettel, que largou com pneus macios da nona posição, todos os pilotos que estavam entre os seis primeiros pararam entre as voltas 28 e 30. Os pilotos esperavam pela chuva que era anunciada pelas equipes para já ter acontecido antes da metade da prova. Sem a precipitação, todos tiveram de trocar os pneus supermacios com os quais largaram.

O atual bicampeão mundial esperou pela volta 46 para trocar o composto macio pelo supermacio. Com suas voltas rápidas antes da parada, Vettel conseguiu voltar à frente de Hamilton e Massa, na quarta posição.

Com problemas no carro, Schumacher, que vinha em sétimo, foi ultrapassado por Jean-Éric Vergne, Di Resta e Hulkenberg, e acabou voltando para os boxes para abandonar, deixando Senna em 11º antes da chuva.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Chuva aparece no fim e seis primeiros chegam “colados”

Faltando menos de dez voltas para o final, a tão esperada chuva começou a cair no circuito de Mônaco . Mesmo que de uma forma leve, a garoa serviu para mudar o panorama da corrida, que até então não tinha contado com muita emoção. Após passarem por retardatários, os seis primeiros ficaram colados um no outro. Webber, Rosberg, Alonso, Vettel, Hamilton e Massa se espremiam nas ruas de Mônaco, dando emoção à prova no fim.

Apesar da pouca diferença entre eles, não houve mudança nas primeiras colocações, o que manteve o australiano no topo até o fim, selando o recorde histórico nas 63 temporadas da categoria. A Force India veio logo atrás do primeiro pelotão e conseguiu colocar seus dois pilotos na zona de pontuação, com Di Resta e Hulkenberg.

Considerada uma das favoritas para a prova, a Lotus teve que se contentar com a nona posição de Raikkonen. Bruno Senna, que vinha em 11º após o abandono de Schumacher, conseguiu entrar na zona de pontuação pela parada de Vergne nos boxes para colocar pneus intermediários durante a chuva, o que acabou não dando o resultado esperado para o francês e deixou o caminho livre para o brasileiro.

A próxima etapa da Fórmula 1 acontece no dia 10 de junho, no Canadá.

Confira como ficou a classificação final do GP de Mônaco:

1 – Mark Webber (AUS) - Red Bull – 78 voltas
2 – Nico Rosberg (ALE) - Mercedes – a 0s6
3 – Fernando Alonso (ESP) - Ferrari – a 0s9
4 – Sebastian Vettel (ALE) - Red Bull – a 1s3
5 – Lewis Hamilton (GBR) - McLaren – a 4s1
6 – Felipe Massa (BRA) - Ferrari – a 6s1
7 – Paul di Resta (GBR) - Force India – a 41s5
8 – Nico Hulkenberg (ALE) - Force India – a 42s5
9 – Kimi Raikkonen (FIN) – Lotus – a 44s
10 – Bruno Senna (BRA) - Williams – a 44s5
11 – Sergio Pérez (MEX) – Sauber – a 1 volta
12 – Jean-Éric Vergne (FRA) - Toro Rosso – a 1 volta
13 – Heikki Kovalainen (FIN) - Caterham – a 1 volta
14 – Timo Glock (ALE) – Marussia – a 1 volta
15 – Narain Karthikeyan (IND) – HRT – a 2 voltas
16 – Jenson Button (GBR) - McLaren – Abandonou
17 – Daniel Ricciardo (AUS) - Toro Rosso – Abandonou
18 – Charles Pic (FRA) – Marussia – Abandonou
19 – Michael Schumacher (ALE) - Mercedes – Abandonou
20 – Vitaly Petrov (RUS) – Caterham – Abandonou
21 – Kamui Kobayashi (JAP) - Sauber – Abandonou
22 – Pedro de la Rosa (ESP) – HRT – Abandonou
23 – Pastor Maldonado (VEN) - Williams – Abandonou
24 – Romain Grosjean (FRA) - Lotus – Abandonou

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.