Tamanho do texto

Entidade desclassificou Daniel Ricciardo, 2° colocado no GP da Austrália, por problemas no limite do fluxo de combustível

Daniel Ricciardo foi o 2° colocado na Austrália
Rob Griffith/AP
Daniel Ricciardo foi o 2° colocado na Austrália

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) informou hoje que a Red Bull foi notificada de que o carro do piloto australiano Daniel Ricciardo, 2° colocado no GP da Austrália , "excedeu consistentemente" o limite de fluxo de combustível de 100kg/h, segundo regulamento deste ano, mas que a equipe preferiu ignorar.

"Observamos que o fluxo de combustível estava muito alto e contatamos o time, dando a ele a oportunidade de estar dentro das regras, mas eles escolheram não fazer essa correção", diz o comunicado da entidade.

Também em comunicado, a Red Bull se defendeu das acusações e declarou que vai apelar da desclassificação de Ricciardo: "Inconsistências com o fluxômetro da FIA foram predominantes todo o fim de semana pelo pit lane. A equipe e a Renault estão confiantes de que o combustível responsável por alimentar o motor estava de total acordo com as regras".

LEIA MAIS: Rosberg sobra e vence 1º corrida do ano na F1

A FIA rebateu as críticas da escuderia austríaca sobre o equipamento e afirmou que o "sensor segue homologado e exigido, com o qual a equipe tem obrigação de medir seu fluxo, a menos que tenha permissão para fazer o contrário".

Com a desclassificação de Ricciardo, Kevin Magnussen, da McLaren, pula para a segunda colocação, e Jenson Button, seu companheiro de equipe, para a terceira. O vencedor foi Nico Rosberg, da Mercedes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.