Tamanho do texto

Chefe da Ferrari afirmou que não tem pressa para tomar uma decisão e elogiou o piloto brasileiro

Um dos assuntos que está agitando os bastidores da Fórmula 1 diz respeito ao futuro de Felipe Massa na Ferrari. O brasileiro vem sendo especulado para deixar a equipe italiana, porém ele recebeu palavras de conforto vindas de Stefano Domenicali.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Felipe Massa tem futuro indefinido na Ferrari para a próxima temporada
Reuters
Felipe Massa tem futuro indefinido na Ferrari para a próxima temporada

Em entrevista ao site oficial da F-1, o chefe da Ferrari destacou que, se pudesse tomar uma decisão, ele escolheria manter Massa em Maranello por mais uma temporada.

"Não temos pressa alguma para tomar uma decisão. Ainda há muitas oportunidades. Todo mundo deseja correr pela Ferrari. Então, agora, temos de esperar e ver o acontece", disse. "Minha escolha preferida, é claro, seria a de manter Felipe, porque ele é um cara ótimo, muito dedicado ao time e, quando você olha ao redor, não vê tantos pilotos assim, que chegam e imediatamente se entregam", justificou o dirigente.

Porém, apesar do voto de confiança, Domenicali também deixou bem claro que o piloto brasileiro precisa obter bons resultados para manter o seu emprego: "Mas é claro que também precisamos de resultados de Felipe, por isso não vamos correr para tomar uma decisão, porque queremos fazer a escolha certa. E, assim que tivermos isso bem claro, aí faremos um anúncio oficial para silenciar os rumores de uma vez por todas. Mas quando estivermos prontos".

Entre os nomes especulados pela imprensa internacional para ocupar uma das vagas na Ferrari em caso da saída de Felipe Massa estão Kimi Raikkonen, atual piloto da Lotus, Nico Hulkenberg, que está na Sauber, e também Paul di Resta, da Force India.

Recentemente, Fernando Alonso foi visto conversando com a Red Bull, na Hungria. E, apesar de o fato ter levantado questões sobre uma possível saída do espanhol da Ferrari, Stefano Domenicali não se mostrou com ‘dores de cabeça’. "Isso faz parte do jogo psicológico que se tem neste meio, se alguém ainda segue essas coisas. Mas, honestamente, eu não me importo. O fato é que estamos totalmente unidos para vencer e temos um contrato de longo prazo. Todas essas histórias simplesmente não são relevantes. Eu tenho o privilégio de ver essas coisas de maneira mais desconectada, então até dou risadas com tudo isso", prosseguiu.

Precisando resolver uma série de questões nesta reta final de temporada, entre elas a definição dos pilotos para 2014, o chefe da escuderia italiana foi perguntado sobre as prioridades e não titubeou.

"Dar ao Fernando e ao Felipe um carro melhor. Essa é a nossa prioridade número 1. Então temos que melhorar essa organização para sermos bem-sucedidos. Na próxima semana, James Allison (ex-diretor técnico da Lotus) vai chegar e começar a trabalhar com Pat Fry, então a equipe vai estar estabelecida completamente e poderemos pensar no futuro", finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.