Com show de Carol, Brasil vence a Polônia e mantém embalo na Liga das Nações
Jonas Moura
Com show de Carol, Brasil vence a Polônia e mantém embalo na Liga das Nações


O Brasil alcançou a segunda vitória na Liga das Nações feminina de vôlei (VNL) e manteve o embalo neste início de caminhada rumo a Paris-2024. Nesta quinta-feira, as comandadas de José Roberto Guimarães oscilaram, mas bateram a Polônia por 3 a 0, com parciais de 25-23, 25-20 e 25-22, em Bossier City, nos Estados Unidos, contando com grande atuação da central Carol e um show de distribuição da levantadora Macris.

+ Inspirada em Gabi, jogadora 'cientista' é atração da Seleção feminina de vôlei na Liga das Nações

A central foi a maior pontuadora, com 15 acertos, sendo cinco em ataques, sete em bloqueios e três em saques. A oposta Lorenne marcou oito, seguida pela central Diana e pela ponteira Julia Bergmann, ambas com oito.

O próximo desafio das brasileiras é nesta sexta-feira, às 19h (de Brasília), contra a República Dominicana. As oponentes são comandadas pelo brasileiro Marcos Kwiek. O último desafio da equipe verde e amarela na etapa dos Estados Unidos acontece no sábado, às 22h, contra as donas da casa.

Brasil x Polonia

Pri Daroit ataca contra a Polônia (Foto: Divulgação/Liga das Nações)

A Seleção teve maior desatenção nos dois primeiros sets do que na estreia, contra a Alemanha. Erros bobos na defesa e no controle de bola mostraram que há margem para muito crescimento.

+ 'Só peço paciência neste início', diz Zé Roberto sobre renovação na Seleção

As polonesas, comandadas pelo italiano Stefano Lavarini, mostraram uma disposição ofensiva, especialmente com Rozanski, Lukasik e Kakolewska. Por isso, o bloqueio brasileiro foi fundamento essencial para frear o embalo das rivais.

+ Tricampeão olímpico Zé Roberto recusa propostas de Turquia e Rússia por Barueri: 'Projeto é razão de viver'

A ponteira Karina se destacou em uma passagem de saque importante no final do segundo set, mostrando que está preparada para executar o fundamento em momentos delicados.

O terceiro set foi o melhor das brasileiras. Macris colocou todas as atacantes para jogarem e conseguiu, aos poucos, tirar o melhor de cada uma. As polonesas tiveram como marca negativa o número elevado de erros. Carol montou um bloqueio pesado para minar de vez a confiança das europeias. Foi ela quem fechou a partida, com um saque cheio de efeito.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários