Maratona de jogos e recentes vendas estimulam uso da base entre os times do Brasileirão
Lance!
Maratona de jogos e recentes vendas estimulam uso da base entre os times do Brasileirão


Entre Campeonato Brasileiro , Copa do Brasil, Sul-Americana e Libertadores , os clubes de elite do futebol do país se preparam para uma verdadeira maratona de jogos até o final da temporada. Dentro disso, as categorias de base aparecem como a grande aposta dos principais times da Série A.

GALERIA
> Quem foi o melhor do mundo na temporada? Veja votação

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2022 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

Cases de sucesso nesse quesito, Palmeiras e Flamengo são dois exemplos que “incentivam” movimentos parecidos de outras equipes brasileiras. Ambos apostaram no lançamento de jovens das categorias de base ao elenco profissional nas últimas temporadas e, além do rápido sucesso esportivo, garantiram também um olhar especial do mercado de transferências europeu.

O Verdão chegou à conquista de duas Libertadores e de uma Copa do Brasil com atletas como Danilo, Gabriel Menino, Patrick de Paula, Wesley e Gabriel Veron sendo protagonistas. Patrick de Paula, inclusive, já rendeu ao Palmeiras cerca de R$ 32 milhões na venda de 50% dos direitos do atleta para o Botafogo.

Além disso, seis atletas revelados pela base estão mantidos no elenco principal. Este número deve aumentar após o título da Copinha com boas atuações de Fabinho, Giovanni, Gabriel Silva e Endrick.

No clássico contra o Santos, no último domingo, Gabriel Menino, o recém-promovido zagueiro Naves e o volante Fabinho foram “Crias da Academia” aproveitados por Abel Ferreira. A grande estrela dessa geração, o volante Danilo desfalca o Verdão justamente para defender a Seleção Brasileira principal pela primeira vez.

No Flamengo, nomes como Hugo Souza, Matheuzinho e João Gomes aparecem como soluções em um elenco vasto de estrelas. Nos negócios, as vendas de Reniê e Vini Jr. para o Real Madrid rechearam os cofres alvinegros com impressionantes R$ 318 milhões. Vini, além de viver o ano de consolidação no futebol europeu, fechou sua temporada com chave de ouro ao anotar o gol do título merengue na final da Liga dos Campeões.

Com 17 jogadores revelado nas categorias de base compondo o atual elenco profissional, o Botafogo é o time, dentre os 20 que irão disputar a Série A, com maior participação de jovens na equipe principal. Um deles vem chamando a atenção: Matheus Nascimento. O meia atacante se destacou no Campeonato Carioca com ótimas atuações e cinco gols marcados. Aos 18 anos, apenas, pleiteia uma vaga entre os titulares do Fogão.

- É prioridade na visão estratégica do John Textor um novo posicionamento das categorias de base do Botafogo. O nosso novo treinador, Luís Castro, possui uma vasta experiência na formação de atletas e vamos desenvolver um trabalho de excelência nessa nova fase do clube - destacou o Diretor de Futebol do Botafogo, André Mazzuco.

Reforçando seu histórico de clube formador e de grandes revelações, o Santos é o segundo time que mais aproveita, no momento, jovens em seu time de cima. Sem muito poder de atuação no mercado da bola, devido à situação financeira, o clube se apoia nas joias da base e conta com 16 deles na formação do grupo que vai para a Série A.

Logo na sequência vem o Internacional em terceiro lugar, empatado com o São Paulo. Ambos contam em seu elenco com 14 jogadores revelados na base. Para o diretor geral das categorias de base do Inter, Felipe de Oliveira, a utilização de jovens vai além dos fatores esportivos e econômicos.

- Além de viabilizar a estrutura econômica do clube, que como todo clube brasileiro ainda precisa de vender atletas para equilibrar suas contas, o aproveitamento da base reforça os valores e a cultura do Inter, se torna um elo importante com o torcedor também - avaliou Felipe.

No Tricolor, o diretor de futebol Rui Costa citou que o envolvimento de diversas áreas do clube são-paulino neste processo de revelação e maturação de jogadores.

- A base do São Paulo sempre foi muito forte, tem um histórico de revelar grandes profissionais e de fornecer atletas com capacidade de chegar ao elenco principal com uma projeção de protagonismo natural. Agora não tem sido diferente e esse trabalho é fruto de toda as diretorias, comissões técnicas, executivos e a importante interlocução diária feita pelo Muricy - comentou antes de completar:

- Evidente que tudo isso se viabiliza, também, pelo suporte dado pela diretoria do clube, que sabe que esse DNA formador é essencial para o clube, pela existência de atletas experientes e mais maduros que dão sustentação aos jovens que chegam e, especialmente, pelo fato de termos um treinador que acredita, conhece e potencializa esse processo de formação - finalizou.

Com sete atletas no grupo principal, o Fortaleza, que este ano joga pela primeira vez em sua história a Copa Libertadores, se prepara para uma maratona de jogos em 2022. De acordo com o vice-presidente do clube, Alex Santiago, o planejamento para a utilização dos jovens passa justamente por este calendário recheado.

- Temos um calendário com muito jogos durante o ano, então temos preparado esses atletas jovens para estarem sempre prontos. Muitos deles, até sub-17, já treinam com o profissional, mantendo uma alta intensidade e competitividade. Nosso trabalho é focado na maturação desses atletas, para que eles rendam ao Fortaleza ganhos esportivos e, posteriormente, sejam lançados no mercado. O Vojvoda (treinador da equipe principal) já foi técnico de base, tem experiência com esse processo e foi mais um dos motivos que o trouxeram para cá - revelou.

Solidificando seu território na elite do futebol brasileiro, o Cuiabá tem apenas dois atletas formados em casa no elenco que vai para a disputa da primeira divisão. São eles o goleiro Eduardo Capellari e o lateral Caio Hila. Porém, o Dourado projeta fortalecer o seu departamento de base e, para isso, contratou o ex-coordenador de base do São Paulo, Pedro Smania. Assumindo o desafio, Smania falou sobre este novo olhar do Cuiabá.

- O clube percebeu a importância das categorias de base para o futebol brasileiro e o quanto ela tem dado retorno aos times e, por isso, está procurando um novo projeto. O nosso trabalho vai ser estruturar as categorias de base para iniciar a média e longo prazo uma alimentação de atletas ao time principal. Ainda é algo embrionário, mas temos todas as condições de trabalho para desenvolver isso - pondera.

Assim como em 2021, o Corinthians é outra equipe que repete a fórmula e novamente figura entre os líderes de aproveitamento de jovens para o Brasileirão 2022, com 13 atletas pratas da casa compondo o elenco principal.

Recentemente, o Timão acertou o retorno do volante Maycon, “filho do terrão”, vendido ao Shakhtar Donetsk em 2018 por quase R$ 30 milhões. Devido à guerra que o país enfrenta com a Rússia, o atleta foi repatriado por empréstimo até o final da temporada e endossa a lista de jogadores de base que formam o grupo alvinegro.

Na última temporada, os líderes de utilização da base no Brasileiro foram o Internacional, Corinthians e Grêmio. Todos eles tiveram, inclusive, uma maior presença de atletas revelados em casa do que de contratados. Ao todo, 21 jovens de base chegaram a assinar súmulas de jogos pelas três equipes.

No Inter, 17 jogadores “de fora” atuaram no campeonato, enquanto no Corinthians foram 18 e no Grêmio 19. Os demais 17 times participantes da elite tiveram aproveitamento da base inferior ao de atletas contratados. O Cuiabá foi a única equipe a não registrar nenhuma participação de atleta proveniente de suas divisões de base durante o Brasileirão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários