Estado do Amazonas domina o Brasileiro de Jiu-Jitsu e medalhistas são homenageados
TATAME
Estado do Amazonas domina o Brasileiro de Jiu-Jitsu e medalhistas são homenageados


Celeiro de grandes nomes do Jiu-Jitsu, o Amazonas segue formando campeões. Prova disso é que o estado foi o recordista de títulos no Campeonato Brasileiro da CBJJD deste ano, realizado recentemente em Barueri, São Paulo. Somente no adulto faixa-preta - carro-chefe do torneio -, os atletas amazonenses faturaram 5 de 19 medalhas de ouro possíveis, mostrando a força da nova geração.

O feito rendeu uma homenagem aos medalhistas do Campeonato Brasileiro de 2022 em sessão extraordinária que aconteceu na Assembleia Legislativa do Amazonas, na semana passada.

Além dos atletas, a Escola Melqui Galvão, responsável por 17 medalhas, também foi homenageada. O núcleo liderado por Melqui simplesmente dominou as disputas no adulto faixa-preta, emplacando todos os campeões do estado no evento: Rodrigo Otávio (peso-galo), Diogo Reis (peso-pluma), Fabrício Andrey (peso-pena), Mica Galvão (peso-médio) e, entre as mulheres, Brenda Larissa no peso-pluma.

- Tivemos 124 medalhas, das crianças até o master, sendo 54 de ouro, 50 de prata e 20 de bronze, números que superaram todas as nossas expectativas. Sem dúvida, um resultado histórico para o Amazonas! Gostaria de parabenizar cada atleta, professor, patrocinador e familiar por essa conquista. Agradeço também ao deputado estadual Delegado Péricles, pela bela homenagem aos nossos guerreiros. Incentivos como esse, de um órgão oficial, motivam os campeões - afirmou Elvys Damasceno, vice-presidente da Federação de Jiu-Jitsu do Amazonas (FJJAM).

Elvys ainda falou sobre a nova safra de jovens faixas-preta do estado que vem dominando o cenário nacional e, nesta semana, tentará brilhar no Mundial de Jiu-Jitsu da IBJJF, na Califórnia (EUA).

- Queria destacar a renovação do Jiu-Jitsu amazonense, que sempre teve tradição em lançar grandes nomes para o mundo. Tivemos gerações brilhantes, mais recentemente feras como Bibiano Fernandes, Ronaldo Jacaré, os irmãos Xande e Saulo Ribeiro, entre outros tantos, e agora essa molecada nova, caso do Mica Galvão, de apenas 18 anos, que já vem ganhando tudo, além dos vários faixas coloridas duros - completou.

Por fim, Elvys fez questão de lembrar o reconhecimento ao GM Osvaldo Alves, presidente da FJJAM, introdutor do Jiu-Jitsu no Amazonas e referência no esporte.

A força da arte suave

Campeã brasileira no master 2 - categoria meio-pesado -, a faixa-preta Juliana Aleixo foi uma das homenageadas na Assembleia Legislativa do Amazonas e, em declaração à TATAME, explicou o que o momento representou para ela: - Sensação de vitória e dever cumprido. Me senti honrada e feliz de receber essa homenagem juntamente com os demais atletas - disse Juliana, que ainda citou a força da arte suave no auxilio para a formação dos jovens.

- O esporte é o caminho salutar para um desenvolvimento social, psíquico e cognitivo de jovens, sendo indispensável em uma formação plena de cidadão. No Amazonas temos vários projeto sociais que apoiam a prática esportiva, e estimular os jovens a treinar e a competir é um movimento fundamental. Além de afastá-los da ociosidade, o esporte contribui para a disciplina, afastando crianças e adolescentes do caminho errado - encerrou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários