Com semana livre, veja o que Zé Ricardo precisa corrigir no Vasco para encarar o líder da Série B
Lance!
Com semana livre, veja o que Zé Ricardo precisa corrigir no Vasco para encarar o líder da Série B


Em meio à pressão, o Vasco conquistou uma vitória importante e encostou no G4 da Série B. No entanto, a atuação esteve longe de ser convincente, sobretudo no primeiro tempo, quando a equipe não conseguia criar oportunidades e incomodar o CSA. No próximo domingo, o adversário será o Bahia, atual líder da competição, que tem se destacado neste início com bom desempenho.

Na saída do gramado, os jogadores demonstraram total apoio ao técnico Zé Ricardo. O grupo está unido em prol de recolocar o Gigante da Colina na elite do futebol brasileiro. Porém, o treinador sabe que a equipe pode e deve ter desempenhos melhores para conquistar o acesso tão sonhado.

+ Confira e simule a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

O primeiro tempo das últimas duas partidas tornou evidente os problemas de criação da equipe. Os lances de perigo foram apenas na bola parada, o que é pouco para quem pleiteia um lugar no G4. A lentidão nas transições ofensivas também merece destaque, o que faz com que o time perca intensidade e agressividade no ataque.

Foram dois tempos totalmente distintos e o resultado poderia ser outro se o CSA aproveitasse as duas chances que teve nos primeiros quarenta e cinco minutos. No domingo, esses erros podem custar pontos importante na Colina Histórica, visto que o Tricolor Baiano costuma jogar no erro do adversário, como aconteceu contra o Londrina.

Além disso, os baianos também mostraram nesta primeira seis partidas, que tem um rápido contra-ataque. O quarto gol contra o Tubarão mostrou isso, com bola de pé em pé e um belo trabalho de Guto Ferreira. O trio Rildo, Marco Antônio e Davó foi letal nas finalizações e comandou a vitória. O time joga no meio de semana contra o Azuriz, fora de casa, pela Copa do Brasil.

+ Thiago Rodrigues afirma que joga 'cada jogo como se fosse o último' e exalta torcida do Vasco: 'Me motiva'

O comandante cruz-maltino terá um dilema para resolver , já que Palacios mudou o panorama da partida e trouxe mais força nos duelos individuais e poder de criação. Apesar de ainda buscar o recondicionamento físico, o chileno já deu indícios de que pode ser importante na campanha e que pode ganhar espaço entre os titulares.

No sábado, em vários momentos se viu Nene, aos 40 anos, puxando o contra-ataque e tendo dificuldade em voltar para marcar. O talento e a identificação do meia é inegável, mas Zé Ricardo terá a tarefa de fazer a engrenagem do Vasco girar com mais poderio ofensivo, sem fragilizar a defesa. O camisa 10 pode jogar ao lado do chileno, mas precisará de encaixe e de uma dupla de volantes que dê sustentação.

No ataque, a escalação de Getúlio não surtiu efeito, e Figueiredo voltou a mostrar que dá mais imposição física pelo lado e é mais efetivo na recomposição. Outro ponto que merece atenção, visto que Gabriel Pec tem tido dificuldade neste fundamento e concedido espaços aos adversários.

+ Palacios entra no lugar de Nene, melhora atuação do Vasco e cria 'dilema' para Zé Ricardo. Entenda!

O time desconexo e espaçado do primeiro tempo não pode repetir esses erros diante do Bahia. Contra um dos adversários mais fortes da Série B, o Vasco precisa estar 100% ligado e não destoar tanto ou depender das substituições. Mesmo invicto, o time está longe do ideal, e Zé Ricardo terá mais uma semana livre para torná-lo mais competitivo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários