Empolgado para o BJJ Stars 8, Demian Maia fala sobre o seu retorno aos tatames: “sempre tive vontade de voltar a lutar Jiu-Jitsu”
Lance!
Empolgado para o BJJ Stars 8, Demian Maia fala sobre o seu retorno aos tatames: “sempre tive vontade de voltar a lutar Jiu-Jitsu”


Campeão Mundial de Jiu-Jitsu e do ADCC, maior evento de grappling do mundo, Demian Maia está de volta aos tatames. O ex-lutador do UFC fará uma superluta na oitava edição do BJJ Stars, que acontece no dia 30 de abril em São Paulo. O combate será nas regras do ADCC contra o também ex-lutador do UFC Alex Cowboy. Demian passou os últimos 15 anos se dedicando apenas ao MMA, sendo 14 deles no UFC. No entanto, o faixa-preta de Jiu-Jitsu disse que voltar a competir nas regras da arte suave sempre esteve em seus planos.

“Eu sempre tive vontade de voltar a lutar Jiu-Jitsu, mas por conta do UFC eu precisava me dedicar totalmente a treinar o Jiu-Jitsu voltado para o MMA. Mas voltar a lutar Jiu-Jitsu era uma coisa que sempre esteve na minha cabeça e eu sabia que, quando tivesse a oportunidade, eu lutaria de novo”, revelou Demian que, para se readaptar ao Jiu-Jitsu, decidiu fazer o seu treinamento em Nova Iorque com Marcelinho Garcia, outra lenda da arte suave.

“Eu sempre gostei de vir treinar com o Marcelinho. Muita gente aqui nos Estados Unidos diz que ele é o Michael Jordan do Jiu-Jitsu. Para mim ele é o melhor pound for pound (peso por peso) de todos os tempos. Além dele ser meu amigo, de termos crescido uma fase da nossa carreira juntos lá na Alliance, estar com ele me ajuda a voltar a essas raízes. Além de ter treinos duríssimos aqui. Isso é uma coisa que eu faço há muitos anos, porque eu vinha para cá treinar Wrestling para o MMA. Agora eu estou treinando mais especificamente para o Jiu-Jitsu esportivo, e decidi passar esse tempo aqui com ele porque eu sei que sempre volto melhor”, explicou.

Por falar em readaptação, Demian disse que, apesar de nunca ter deixado de treinar de kimono, ele agora tem que pensar em um Jiu-Jitsu sem socos e cotoveladas. Se 15 anos atrás o objetivo era fazer a transição para o MMA adaptando o seu Jiu-Jitsu para atacar e defender golpes, hoje ele precisa voltar a pensar como um competidor da arte suave.

“O fascinante do Jiu-Jitsu é que ele se adapta muito bem a tudo. Eu comecei a treinar Jiu-Jitsu pensando no MMA, mas entrei muito na parte esportiva do Jiu-Jitsu e tive que me adaptar a isso. Quando fui, definitivamente, me tornar um lutador profissional de MMA, eu tive que readaptar para o MMA aquele Jiu-Jitsu esportivo que eu já fazia há algum tempo. E agora, é até engraçado (risos), porque nos treinos eu estou tendo que me readaptar, a pensar em um Jiu-Jitsu sem porrada, tanto ofensivamente quanto defensivamente. Muda algumas coisas, principalmente distância e pressão quando você tem porrada e quando não tem. Tem muitas pequenas adaptações que as pessoas não percebem, mas que muda a mentalidade do que você busca”, analisou.

Duelo com Cowboy

Aos 44 anos, Demian Maia é uma referência mundial no Jiu-Jitsu. No MMA ele era considerado o atleta que melhor representava a arte suave no octógono, praticamente usando só a luta agarrada para vencer seus adversários. No Jiu-Jitsu esportivo ele conquistou praticamente todos os títulos importantes na época em que competia. Seu oponente Alex Cowboy, que recentemente foi desligado do UFC, não é especialista na luta de chão, mas é conhecido por ser um atleta que tem muita vontade e raça diante de seus oponentes. Apesar da disparidade técnica, Demian Maia acredita que Cowboy pode endurecer o duelo, que será sem kimono e nas regras do ADCC, evento no qual Demian foi campeão em 2007.

“Eu acredito que o Alex Cowboy possa endurecer a luta sim. As pessoas não entendem que um atleta de MMA, que está no UFC, maior evento de MMA do mundo, ele sempre vai ser sempre um grande atleta. Ele pode não ser o atleta mais técnico de Jiu-Jitsu, mas ele é explosivo, é forte, ele sabe Jiu-Jitsu e vai tentar de tudo para vencer essa luta. Ele tem raça, e um atleta de MMA é sempre muito profissional, então sempre será uma luta difícil. Eu não tenho dúvidas disso e não me iludo achando que vou chegar lá e vai ser tranquilo porque ele não vem originalmente do Jiu-Jitsu. Eu sei que vai ser uma luta duríssima”, disse Demian, que está empolgado com a chance de lutar no BJJ Stars.

“Estou adorando a oportunidade de lutar no BJJ Stars, que é o maior evento de Jiu-Jitsu profissional do Brasil. É uma coisa muito legal, porque o Fepa (Lopes) começou a organizar eventos profissionais lá atrás, e eu lutei o primeiro evento que ele organizou, que era o Desafio Black Belt, em 2002 ou 2003, e agora lutar de novo nesta nova organização criada pelo Fepa é muito bom. Eu acompanho o BJJ Stars desde o começo. O evento é muito bem organizado, paga boas bolsas, tem um PPV… É o tipo do evento que seria um sonho se tivesse na minha época. Isso só valoriza o Jiu-Jitsu e faz o esporte crescer. Que tenham muito mais eventos do BJJ Stars pela frente. Tenho certeza que isso é muito bom para o Jiu-Jitsu como esporte e também como arte marcial, porque um evento desse atrai não praticantes que podem começar a se interessar pelo Jiu-Jitsu. E isso eu acho que é o mais legal”, concluiu.

O BJJ Stars 8, que conta com o apoio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer de São Paulo, vai acontecer no dia 30 de abril a partir das 19h no Clube Hebraica. Os ingressos podem ser adquiridos através do site www.bjjstars.tv.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários