Rafael Baby admite 'digestão dura' de eliminação em Tóquio e vira página
Lance!
Rafael Baby admite 'digestão dura' de eliminação em Tóquio e vira página


Em busca de importantes pontos para o ranking mundial, o medalhista olímpico Rafael Silva, o Baby (+100kg), recuperou a motivação para encarar mais um ciclo olímpico após ficar fora do pódio nos Jogos de Tóquio, no ano passado. Na ocasião, ele caiu na repescagem para o francês Teddy Riner.

O Brasil inicia nesta sexta-feira sua participação no Campeonato Pan-Americano e da Oceania de Judô, em Lima, no Peru, e o evento é o segundo do atleta desde que retornou ao Circuito Mundial após nove meses parado.

+ Altos e baixos após doping, luta por Paris-2024 e gratidão ao Flamengo: Rafaela Silva abre o coração ao L!

O título renderá ao campeão de cada categoria um total de 700 pontos no ranking da IJF (Federação Internacional de Judô).

Baby é um dos dois convocados do Brasil entre os pesados (+100 kg) e vai competir no sábado. Ele também está escalado para a disputa por equipes, que está prevista para o domingo.

Dono de duas medalhas olímpicas (bronze nos Jogos de Londres, em 2012, e no Rio de Janeiro, em 2016), Rafael chega bastante animado para este Campeonato Pan-Americano e da Oceania, especialmente após a conquista da medalha de prata no Grand Slam de Tel Aviv (Israel), em fevereiro.

- Estou bastante feliz em estar competindo internacionalmente, após nove meses fora do circuito. A ‘ digestão’ do resultado em Tóquio não foi tão fácil, pois não tive um bom desempenho. Mas ao mesmo tempo, a gente aprende muito com a derrota também. Analisei como tudo foi feito, como ocorreu toda a preparação para a Olimpíada e aí fui treinando, pensando em como melhorar. Por tudo isso, o resultado no Grand Slam de Tel Aviv foi muito bom e mostrou que o processo atual está funcionando - disse Baby, apontando como principais rivais no torneio o cubano Andy Granda e o equatoriano Freddy Figueroa.

Suporte nutricional é trunfo

Baby é um dos integrantes do Time Ajinomoto. Nesta largada de ciclo olímpico para os Jogos de Paris, em 2024, os judocas recebem suporte nutricional e acesso ao programa de educação nutricional Alimentação para Vencer - Kachimeshi®, que incentiva uma alimentação adequada às necessidades específicas de cada atleta.

Parte desse suporte nutricional é representada pelo aminoVITAL® GOLD, suplemento alimentar composto por nove aminoácidos essenciais, que agem rapidamente na recuperação muscular, fundamental para atletas de alto rendimento.

- A Ajinomoto é uma parceira de longa data, que tem me ajudado bastante, principalmente na recuperação das sessões de treino. O uso do aminoVITAL® é fundamental nesta parte e o aminoácido da Ajinomoto é de excelente qualidade, o melhor do mundo na minha opinião. Essa parceria contribui muito nesta minha caminhada, pensando em Paris-2024. Será uma jornada exaustiva, cansativa, mas ao mesmo tempo estou feliz de estar lutando e treinando com a certeza de ter a Ajinomoto como parceira - disse Rafael Silva.

- Fazer parte do Time Ajinomoto tem sido essencial no meu processo de preparação, tendo papel fundamental durante os treinamentos e competições. Tenho certeza de que irá me ajudar muito no processo desse ciclo até Paris - disse Larissa Pimenta, da categoria até 52kg, que compete em Lima nesta sexta-feira e também é apoiada pela marca.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários