Como o Atlético-MG virou intruso na disputa entre Flamengo e Palmeiras pela hegemonia do futebol brasileiro
Marcellus Madureira-Valinor Conteúdo
Como o Atlético-MG virou intruso na disputa entre Flamengo e Palmeiras pela hegemonia do futebol brasileiro


Um dos maiores clubes do futebol brasileiro. Uma torcida apaixonada. Um casamento perfeito. Mas faltava alguma coisa. E agora não falta mais: o Atlético-MG é o campeão brasileiro de 2021. Mas agora você deve estar se perguntando: o que aconteceu dentro do clube para ele se transformar em uma potência do futebol brasileiro? O Lance! te explica.

Tudo começou com a entrada dos 4 R's no Galo. Ainda na gestão de Sérgio Sette Câmara, o empresário Rubens Menin, seu filho Rafael Menin, o banqueiro e ex-presidente do Galo, Ricardo Guimarães, e o empresário Renato Salvador entraram para contribuir na gestão.

Após 50 anos, o Atlético-MG voltou a celebrar o título do Brasileirão (Foto: Pedro Souza / Atlético-MG)

Quando chegaram, entre o fim de 2019 e início de 2020, o clube vivia situação financeira delicada. Apesar de o presidente da época, Sette Câmara, viver falando em "austeridade financeira", a realidade é que o Galo estava com sérios problemas para montar times e pagar salários. Os gastos com atletas que não tinham potencial eram enormes: Denilson e Edinho são dois rápidos exemplos. Era preciso reajustar as coisas.

Vale ressaltar que mesmo antes de "entrarem com tudo" para dentro do Atlético, os empresários já davam boas contribuições ao clube. No momento citado nesta matéria, o empresário passou a atuar mais ativamente. Rubens Menin, por exemplo, doou o terreno onde o Galo faz a construção da sua nova arena e, além disso, comprou os naming rights que passou a se chamar Arena MRV.

Já dentro do clube, os empresários passaram a trabalhar a vida financeira da agremiação. Havia, no entanto, um claro entendimento que não teria como ter sucesso sem um grande time. A busca por marketing e ações inovadoras também aconteceram. O projeto Manto da Massa, por exemplo, que deixa a torcida desenhar a camisa, coloca em votação e depois a vencedora é vendida ao público. Algo não visto no Brasil.

Com a demissão de Rafael Dudamel, o Atlético buscou Jorge Sampaoli para um projeto grandioso.

Quase deu certo. O Atlético finalizou a temporada 2020 na terceira colocação, a três pontos do campeão Flamengo e passou a lamentar as derrotas que teve. Mas não dava para chorar o leite derramado sem tempo suficiente. Por causa da pandemia, a temporada acabou e começou na semana seguinte.

Sampaoli, porém, resolveu largar o projeto no meio e ir em busca de um de seus objetivos profissionais: treinar um grande clube na Europa. Com alguma demora, o Atlético foi em busca de Cuca.

Vale ressaltar que antes de o técnico Cuca ser contratado, o Atlético tentou anunciar Renato Gaúcho, mas os negócios não avançaram e Portaluppi seguiu no Grêmio - meses depois trocou o Tricolor pelo Flamengo e fracassou em ambos em 2021.

A montagem do elenco também precisa ser ressaltada. O Atlético tem hoje um dos melhores times da América do Sul. Com destaques para nomes internacionais como Hulk e Diego Costa, sem falar no lateral-esquerdo Guilherme Arana - presença constante na Seleção Brasileira.

É assim, com organização e planejamento que o Atlético virou uma potência do futebol brasileiro e que promete mais: a expectativa é de times mais fortes para as próximas competições. O objetivo agora é o Mundial de Clubes.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários