Após levar o Brasil ao Olympia Open após 34 anos, Rafael Brandão destaca: 'Seremos a maior potência do fisiculturismo'
Lance!
Após levar o Brasil ao Olympia Open após 34 anos, Rafael Brandão destaca: 'Seremos a maior potência do fisiculturismo'


O fisiculturismo brasileiro tem motivos de sobra para comemorar e o responsável por isso é Rafael Brandão, atleta da Darkeness/Integralmedica. No último dia 14 de novembro, o fisiculturista, de 28 anos de idade, faturou o título da categoria Open (que não possui limite de peso) do torneio Romania Muscle Fest Pro, que foi realizado em Bucareste, capital da Romênia. Com o grande resultado, Rafa conseguiu a classificação direta para o Olympia Open de 2022, considerada a principal competição de fisiculturismo do mundo.

O feito atingido pelo paulista, natural de Garça, se torna ainda mais impressionante se levarmos em conta que, desde o ano de 1988, com Luiz Otávio de freitas, um representante brasileiro não participava da categoria Open Bodybuilding do Olympia. Em entrevista, Rafa Brandão exaltou a incrível conquista para sua carreira, que contou com uma grande superação, tendo em vista que, em 2020, ele já tinha garantido vaga para o torneio por ter ficado em terceiro no Europa Pro, mas acabou contraindo a Covid-19 semanas antes da competição e não teve tempo hábil para participar. Dessa vez, faltando pouco para o Romania Pro, precisou ser internado.

"Foi uma sensação indescritível. Primeiro, pelo fato de colocar o Brasil no topo do esporte novamente, e outra pelo fato de fazer algo histórico e sem precedentes dentro do esporte, que é ser o primeiro atleta a ser campeão de um show pro na categoria Open da história do Brasil. Eu sempre acreditei muito que iria conseguir esse feito e trabalhei até conseguir. Essa foi a preparação mais difícil que tive. Duas semanas antes do campeonato, eu estava internado com problemas no intestino, e duas semanas depois lá estava eu com o troféu de campeão", disse Rafael, que na sequência, falou da expectativa visando os próximos desafios, que obviamente, envolvem o Olympia, e também o Arnold Classic Brasil 2022.

"Agora tenho um ano para me preparar para o maior campeonato do mundo, que é o Olympia. Mas antes disso, irei competir em abril, no Arnold Classic Brasil 2022. Eu preciso fazer isso pelo meu público e todos que acompanham o esporte. Competir dentro de casa é uma das melhores emoções que já senti na vida. Minha maior meta, hoje, é estrear dentro do Top 5 no Olympia, e eu acredito que isso é possível. E posteriormente, um dia, ser campeão e o melhor atleta do mundo".

A grandiosa conquista de Rafael Brandão simboliza um ótimo momento do fisiculturismo brasileiro. Prova disso é que o país possui mais atletas que já estão garantidos na próxima edição do Olympia, em outras categorias, casos de Carlos Oliveira e Diogo Montenegro na "Mens Physique", além de Isabelle Nunes, Ângela Borges e Francielle Mattos na "Wellness". Outros atletas que possuem boas chances de entrar em ação no renomado torneio, em 2022, são Elisa Pecini e Ramon Queiroz.

Na edição passada do Olympia, o Brasil já havia batido o recorde em participações no torneio, o que foi coroado com o título de Francielle Mattos na categoria "Wellness" e as boas colocações de Diogo Montenegro e Ramon Queiroz. Orgulhoso, Rafael Brandão destacou alguns dos fatores que estão fazendo o fisiculturismo brasileiro estar cada vez mais em alta.

"Um dos fatores principais do crescimento do fisiculturismo no Brasil se dá pelo fato da chegada da NPC e Musclecontest no país. Eles trouxeram mais campeonatos e, consequentemente, mais oportunidades para os atletas brasileiros se destacarem mundialmente. Eu acredito que, em pouco tempo, seremos a maior potência do fisiculturismo mundial. Temos excelentes atletas, estrutura e agora conhecimento necessário para chegar ao topo", finalizou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários