Lance

Lance

Denilson e Belo
Reprodução
Denilson e Belo brigam na justiça há 19 anos

Em 2017, o juiz Carlo Mazza Britto Melfi, da 5ª Vara Cível da Comarca de São Bernardo do Campo do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP) determinou o bloqueio e penhora de R$ 4.770.811,83 do cantor Belo, em ação a favor do ex-jogador Denilson.

Leia também: Dunga revela que se arrependeu de ter feito as pazes com Alex Escoba r

Atualmente comentarista do Grupo Bandeirantes, Denilson entrou na justiça por danos morais após Belo deixar o grupo Soweto no momento em que ele comprou os direitos da banda. O cantor também é envolvido em outras polêmicas em sua carreira. Confira a seguir a cronologia do caso com Denílson e mais!

AMIZADE NA DÉCADA DE 1990

Na década de 1990, Belo e Denilson eram amigos e esta amizade acabou se transformando em parceria comercial. No ano de 1998, o ex-jogador comprou os direitos da banda de pagode Soweto, que tinha o cantor como vocalista - a banda despontava no cenário musical pelo Brasil, com músicas como "Farol das Estrelas", "Não Foi A Toa" e "Tudo Fica Blue", pertencentes ao álbum "Farol das Estrelas". Belo acabou deixando o grupo em 2000.

DENÍLSON ACIONA A JUSTIÇA

Depois da saída de Belo do Soweto em 2000, Denilson, então detentor dos direitos da banda, acionou a Justiça, alegando contra o cantor a quebra de contrato, danos morais e outros prejuízos. Nos autos, a defesa de Belo, na oportunidade, alegou que o cantor nunca reconheceu Denilson como detentor dos direitos da banda e que o mesmo não recebeu no período aportes financeiros do ex-jogador.

EX-INTEGRANTES DO GRUPO PROCESSAM DENÍLSON APÓS SAÍDA DE BELO

E também após a saída de Belo, a banda Soweto perdeu espaço no cenário musical, o que fez o mercado e as expectativas sobre o futuro do grupo serem reduzidos. Com isto, alguns integrantes da banda também acionaram a Justiça, desta vez contra Denilson, dono dos direitos - o mesmo os indenizou. Este foi outro ponto colocado pelo ex-jogador no processo contra o cantor.

DENÍLSON VENCE PROCESSO CONTRA O BELO

Banda Soweto
Reprodução
Banda Soweto


Após quatro anos de tramitação do processo, o TJSP deu ganho de causa ao Denilson, condenando Belo a pagar R$ 388 mil na época. Como o valor não foi quitado até agora, mesmo com ordens de bloqueio e penhora dos bens do cantor, e também mesmo depois do trânsito em julgado da ação, a quantia chegou a passar dos R$ 5 milhões com as devidas correções.

BELO CONTRA-ATACA... E PERDE

Em abril de 2017, o Belo contra-atacou, processando Denílson no TJSP e pedindo R$ 50 mil. Na oportunidade, o cantor requereu danos morais por conta de o ex-jogador ter aproveitado uma postagem do também cantor Thiaguinho, no Instagram, para cutucar Belo. Denilson escreveu "só falta aprender a pagar quem ele deve", em uma foto de Thiaguinho com Belo. Nos autos, Belo disse que não deve dinheiro a Denílson, alegando que a mensagem do ex-jogador provocou danos em sua imagem. No dia 22 de agosto de 2017, a juíza Andrea de Abreu e Braga, da 10ª Vara Cível do TJSP, julgou improcedente a ação, condenando Belo a pagar 10% do valor da causa em custas e honorários advocatícios de Denílson, devido a sucumbência.

DECISÃO DESTA QUINTA-FEIRA DO CONTRA-ATAQUE...

Até agora este valor de 10% que Belo foi condenado a pagar a Denilson pela sucumbência não foi pago. Por conta disto, no fim de 2017, o ex-jogador entrou com ação para cumprimento de sentença em apenso no TJSP e, na última quinta-feira, a juíza Andrea de Abreu e Braga, da 10ª Vara Cível do TJSP, determinou a penhora de R$ 74.298,60 dos rendimentos de Belo no show marcado para setembro em São Paulo. Se não chegar a este montante, a penhora será para o show que será realizado no Rio Grande do Sul no mesmo mês.

    Veja Também

      Mostrar mais