Tamanho do texto

Saltador paulista é o único dos três representantes do Brasil que consegue avançar para a final no Mundial de Pequim

Dutra competiu com menos pressão sobre os ombros
Lavandeira Jr./EFE
Dutra competiu com menos pressão sobre os ombros

Uma das poucas provas em que o Brasil apresentou grande progresso nos últimos anos, o salto com vara foi aguardado por muita expectativa. Thiago Braz, atual recordista sul-americano e dono da quarta melhor marca do ano (5,92m), dissera que "estava mordido" depois do decepcionante resultado nos Jogos Pan-Americanos, em que não conseguiu executar sequer um salto válido. Mas o jovem atleta novamente não conseguiu boa performance e não passou dos 5,65m, sendo eliminado prematuramente.

"Cometi vários erros técnicos durante a prova. Vou conversar com o meu técnico para tentar corrigir", disse, referindo ao ucraniano Vitaly Petrov.

Com menos pressão sobre seus ombros e mais experiente, Augusto Dutra superou o sarrafo a 5,70m e avançou. Dutra é um fã de esportes radicais, e gosta do salto com vara justamente por causa das quedas. "O salto com vara me dá adrenalina. Nunca gostei de futebol. Gosto dos X-Games, de esportes radicais, de motocross, mas nunca parti para a prática dessas modalidades. Só salto umas rampinhas com uma bicicleta de cross", diz o atleta, que já pensou em trabalhar como dublê.

Outro brasileiro na disputa, Fabio Gomes da Silva falhou em todas as tentativas a 5,40m e foi eliminado.

A pernambucana Keila Costa conseguiu a marca de 14,03m e se classificou no salto triplo. A final será na segunda-feira.

"Gostei da prova e espero melhorar meu resultado na segunda-feira", comentou a veterana de 32 anos. Na mesma prova, Núbia Soares saltou 13,52 m e foi eliminada. O melhor resultado foi alcançado pela búlgara Gabriela Petrova, com 14,44m.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.