Tamanho do texto

Após um relatório divulgar níveis alarmantes de vírus e bactérias no local, a cidade de Búzios, no litoral fluminense, se ofereceu para sediar as disputas de vela na Olimpíada

O comitê organizador das Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, divulgou um comunicado rechaçando "qualquer possibilidade" de realizar as competições de vela fora da Baía de Guanabara, que sofre com um elevado índice de poluição.

Imagem da Baía de Guanabara em outubro de 2013
Felipe Dana/AP
Imagem da Baía de Guanabara em outubro de 2013

Na última quinta-feira (30), um estudo conduzido pela agência Associated Press (AP) havia revelado níveis alarmantes de vírus e bactérias provenientes de esgoto humano nas águas do local, assim como na lagoa Rodrigo de Freitas, que receberá as provas de remo e canoagem, e na praia de Copacabana, que terá as disputas de triatlo e maratona aquática.

Leia ainda: Esquema de segurança para os Jogos Olímpicos contará com 85 mil profissionais

Com a ajuda de biólogos e especialistas, a AP chegou à conclusão de que os atletas correrão um sério risco de contrair doenças durante os Jogos . Após a divulgação do relatório, a cidade de Búzios, no litoral fluminense, se ofereceu para sediar as disputas de vela.
"A prioridade número um do comitê Rio 2016 é proteger a qualidade de vida dos atletas, e garantimos que eles não serão expostos a qualquer tipo de risco à saúde", afirma o comunicado.