Tamanho do texto

"Quando estava no São Caetano, falei que queria me firmar na meia. O Antônio Carlos Zago foi o primeiro a me botar ali e a me dar liberdade", disse o cruzeirense

Éverton Ribeiro recebeu a sua Bola de Prata, concedida pela revista Placar , das mãos de Tite, que não o aproveitou no Corinthians em 2011. O meia do Cruzeiro fez o agradecimento de praxe ao gaúcho, dizendo ter aprendido com ele, mas mostrou uma gratidão mais sincera com outros dois técnicos.

Leia mais: Éverton Ribeiro lidera premiados com a Bola de Prata do Brasileiro

"Quando estava no São Caetano, falei que queria me firmar na meia. O Antônio Carlos Zago foi o primeiro a me botar ali e a me dar liberdade", afirmou o jogador, que teve suas primeiras oportunidades como profissional na lateral esquerda, posição que ocupou também na Seleção Brasileira sub-20.

Veja também: Cruzeiro diz que que não recebeu boas propostas para vender Éverton Ribeiro

Também recebeu agradecimentos o atual comandante de Éverton, Marcelo Oliveira, que já havia trabalhado com ele no Coritiba. "O Marcelo me ajudou muito, acreditou no meu futebol e me elogiou já na época em que eu estava no São Caetano. Devo muito a ele, foi o cara que me deu toda a liberdade."

O meia só não sabe se continuará sendo dirigido por ele no próximo ano. De acordo com seu empresário, as atuações que lhe renderam a Bola de Prata - e também a Bola de Ouro, como melhor jogador do Campeonato Brasileiro - despertaram o interesse do Manchester United.

"Especulação depois de um grande campeonato sempre existe, mas hoje sou jogador do Cruzeiro. Vou descansar bastante, curtir a minha família nas férias, para voltar em janeiro com as energias carregadas. Essas negociações eu deixo para o Cruzeiro e para o meu empresário", comentou.