Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Zé Roberto reclama da arbitragem na final e elogia grupo do Brasil

Após derrota para Rússia na decisão do Mundial, técnico reclamou de uma marcação duvidosa do juiz no tie-break

Aretha Martins, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860237311&_c_=MiGComponente_C

Tristeza e frustração. Esses foram os sentimentos que abateram a seleção brasileira depois da derrota para a Rússia na final do Campeonato Mundial feminino, neste domingo. O Brasil perdeu por 3 sets a 2 e ficou com a medalha de prata, adiando o sonho do inédito título.

As jogadoras não resistiram e começaram a chorar em quadra. Quem conseguiu falar com os repórteres pediu desculpas pela derrota. "É ruim viver esse momento de novo. Peço desculpas para as nossas famílias, para o povo brasileiro. É muito difícil, fica essa sensação de frustração", disse a líbero Fabi, que estava na seleção no vice em 2006.

Já o técnico José Roberto Guimarães, além da tristeza, fez reclamações sobre a arbitragem. "A Rússia dificultou muito para a gente. Estou muito triste. Eu acho que o juiz coreano (Kun-Tae Kim) errou uma bola da Sheilla que estava dentro. O árbitro de linha abaixou a bandeira dizendo que estava dentro", disse o técnico. Mesmo que o auxiliar faça a sua marcação, a decisão do primeiro árbitro é soberana.

"Seria 8 a 6 para o Brasil, mas ficou em 7 a 7. São apenas 15 pontos no tie-break, então um ponto é importante. Estou muito desapontado sobre isso. A final é no Japão, então por que um árbitro coreano? Deveria ser um árbitro japonês", comentou Zé Roberto. Depois do empate, as russas viraram e fecharam o quinto set em 15 a 11, conquistando o título.

AFP
Brasileiras se confortam depois da derrota na final do Mundial

Ele ainda analisou a partida deste domingo. "A Rússia jogou melhor, e nós tivemos alternância. Jogamos bem o primeiro e o terceiro sets. Elas, o segundo e o quarto. O tie-break começou igual, mas a Gamova fez a diferença", explicou.

Mesmo com a decepção pela derrota, o técnico preferiu já pensar no futuro e elogiar o elenco da seleção brasileira. "O Brasil está de parabéns pela campanha. Foram 10 vitórias em 11 jogos. Estávamos juntos há quatro anos e estávamos bem preparados para o Mundial. Eu acho que o Brasil tem um grupo de jogadoras muito bom, e gostaríamos de continuar juntos para fazer o nosso melhor na Olimpíada de Londres", afirmou.

Vitória de caráter
O discurso da vitória do treinador russo Vladimir Kuzyutin, que ainda não sabe se continua no comando, também foi emocionado. "Não foi apenas sobre voleibol essa final. O Brasil jogou muito bem e nós dois, juntos, pudemos demonstrar grande qualidade em quadra. Não foi apenas sobre esporte, foi sobre caráter. Temos três ou quatro jogadoras que não têm muita experiência. Mais do que o esporte, era nossa vontade de ganhar", disse.

A Rússia conquistou o seu segundo título consecutivo, sétimo ouro, se forem contabilizadas as vitórias da antiga União Soviética. Já o Brasil agora tem três vices. A seleção perdeu para Cuba na final em 1994, em casa, por 3 sets a 0, e caiu duas vezes diante da Rússia por 3 sets a 2, ambas no Japão, em 2006 e em 2010.

*com agências

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG