Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Zé Roberto pede vitória em nova chance de conquistar o Mundial

Técnico elogiou as adversárias russas, mas ressaltou o trabalho de seu time e mostrou que espera o título

Gazeta Esportiva |

Quatro anos atrás, Brasil e Rússia decidiram o Campeonato Mundial no Japão. A partida foi equilibradíssima, mas as brasileiras vacilaram no tie-break e a taça ficou com as rivais. Ainda no comando da seleção, o técnico José Roberto Guimarães não quer desperdiçar outra oportunidade de garantir o inédito título.

"Depois de quatro anos, temos uma nova chance. Agora, temos que ganhar. Será um jogo muito difícil. A Rússia é uma excelente equipe e conta com três grandes jogadoras: Gamova, Sokolova e Kosheleva. A Sokolova está segurando o time russo no passe. Cresceu muito fisicamente. Está sendo muito exigida no ataque e no passe e está correspondendo. Será uma partida bastante complicada, mas trabalhamos muito durante o ano todo", comentou o treinador.

Após passar pela semifinal contra o Japão, equipe rápida e que joga com bolas baixas, o Brasil terá pela frente um time completamente diferente na decisão. "O jogo contra a Rússia será totalmente diferente. Com as russas, o jogo é mais frio, cadenciado, com bolas altas. Ao contrário do estilo do Japão, é um jogo mais de bloqueio do que de defesa. Será uma partida muito difícil. As duas equipes estão invictas. Mas estamos confiantes e vamos lutar até o último momento", comentou a ponteira Natália, a caçula da seleção, com 21 anos.

Titular em 2006, Sheilla espera um novo final. "Amanhã teremos que mudar tudo. Hoje, contra o Japão, tivemos que adaptar um bloqueio mais baixo. Amanhã, contra a Rússia, o bloqueio terá que ser alto. Agora, nós é que parecemos baixinhas perto das russas. Como em 2006, acho que vai ser um jogão, mas espero que agora a vitória fique conosco. Vamos ver o vídeo, estudar e chegar com tudo", comentou a oposto.

Brasil e Rússia já se enfrentaram 49 vezes, com 26 vitórias das brasileiras contra 23 das adversárias. Se por um lado as russas levaram a melhor no último Mundial, por outro, foi o time verde e amarelo que ganhou o último confronto entre as equipes. Em 2009, na fase final do Grand Prix, o Brasil saiu vencedor e, quatro rodadas depois, conquistou o título.

Para a capitã Fabiana, os números não entram em quadra na hora da decisão. "Isso já passou. Nosso foco é na decisão deste Mundial. Amanhã teremos que sacar, defender e bloquear muito bem e ter atenção redobrada. Na final, é alegria, coração", encerrou a central.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG