Marcos Kwiek, atual treinador da República Dominicana, conhece bem o estilo de jogo brasileiro

Vipcomm
Guimarães teme Marcos Kwiek, treinador da República Dominicana, pelo seu conhecimento das brasileiras
Apesar de já saber que não conquistará a vaga olímpica pela Copa do Mundo no Japão, a Seleção Brasileira feminina de vôlei quer encerrar bem a competição. Às 3h00 (de Brasília) desta sexta-feira, o Brasil entra em quadra pela última vez, diante da República Dominicana - adversário que promete dificuldades, principalmente pelo fato de seu treinador ser Marcos Kwiek, ex-auxiliar de José Roberto Guimarães.

Leia também : Brasil bate Argélia, mas não se classifica e depende de Pré-Olímpico

"A República Dominicana tem um bom time. Vai ser um jogo difícil pelo Marquinhos conhecer muito o time brasileiro, além de já termos enfrentado bastante o time delas", declarou o técnico brasileiro, lembrando da parceria de cinco anos com o atual comandande dominicano.

Zé Roberto ainda apontou outro problema para a Seleção: a atacante rival Bethania De La Cruz, de 24 anos, a maior pontuadora da competição. "Ela é incrível e está vivendo um grande momento", definiu.

O Brasil ainda tem duas chances de conquistar a vaga para a Olimpíada: no Pré-olímpico Continental e Mundial.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.