Seleção feminina estreia na Copa Pan-Americana nesta sexta, contra Trinidad e Togabo, e técnico não quer ver um "jogo-treino"

Depois de seis semanas de treinamentos, a seleção brasileira feminina de vôlei fará sua estreia na temporada. O time vai disputar a Copa Pan-Americana na Ciudad Juárez, no México e o primeiro jogo será contra a frágil equipe de Trinidad e Tobago nesta sexta-feira.

Apesar da superioridade em relação ao adversário, o técnico José Roberto Guimarães cobrou empenho das atuais campeãs olímpicas. "Não vejo esse jogo como treinamento. Apesar de conhecer pouco sobre o time delas, temos que entrar em quadra focados em apresentar um bom voleibol. Essa é a primeira partida de uma temporada longa. O time precisa ganhar ritmo de jogo e crescer durante a competição", pregou o treinador.

Objetivos e cuidados da longa temporada
A equipe, neste ano, ainda vai disputar: Torneio internacional, Grand Prix, Sul-Americano, Pan-Americano e a Copa do Mundo. A Copa Pan-Americana ajudará a preparar  o time para a temporada, que promete ser desgastante.

"No ano passado, demos enfoque aos treinos e jogamos só dois torneios (Grand Prix e Mundial) e agora voltamos a competir mais. Treinamos seis semanas e demos enfoque na base da preparação física para que o time suporte todo o ano", explicou Zé Roberto.

José Roberto Guimarães comanda treino do Brasil em Saquarema, no Rio
Divulgação/CBV
José Roberto Guimarães comanda treino do Brasil em Saquarema, no Rio

Para o técnico, os objetivos de 2011 são o Sul-Americano, que leva o campeão para a Copa do Mundo, e o torneio mundial, que classifica os três primeiros colocados para as Olimpíadas de Londres. Ainda assim, a Copa Pan-Americana que começa nesta sexta não deve ser menosprezada. "Os nossos dois campeonatos principais neste ano são o Sul-Americano e a Copa do Mundo. A gente tem a obrigação de ir bem nesses dois, mas sem esquecer os outros", afirmou.

Apesar de mais de um mês de treinamento, o tempo de preparação para que a seleção começasse os torneios de 2011 ainda não foi o ideal. "O tempo sempre é curto e a gente sempre vai reclamar. Gosto de começar uma competição depois de oito semanas de trabalho. Mas precisamos resolver a nossa vida o mais rápido possível", disse Zé Roberto.

Luta pelo tri

Paula Pequeno representará o Brasil na Copa Pan-Americana
Divulgação/CBV
Paula Pequeno representará o Brasil na Copa Pan-Americana
A seleção buscará seu terceiro título da Copa Pan-Americana (também venceu em 2006 e 2009) com suas principais jogadoras: as levantadoras Fabíola e Dani Lins; as ponteiras Paula Pequeno, Fernanda Garay, e Suelle; as opostos Sheilla e Juliana Nogueira; as centrais Fabiana, Thaisa e Juciely, além da líbero Fabi. Zé Roberto só não poderá contar com a ponteira Mari, que pediu dispensa no início da semana por motivos pessoais .

Mesmo com a fragilidade de Trinidad e Tobago, o rival da estreia, Zé Roberto alerta em relação aos rivais do Brasil no México. "Estados Unidos, República Dominicana e Cuba, que já jogaram um torneio na China e já estão em atividade saem na frente. Não podemos esquecer de Porto Rico, que pode dar mais trabalho", analisou. "Pode não ser o mais importante do ano, mas temos que estar bem e respeitar os adversários", completou.

Enquanto a equipe principal jogará a Copa Pan-Americna, a seleção brasileira de novas disputará a Yeltsin Cup, na Rússia, entre os dias 5 e 10 de julho.  

O grupo de novas será liderado pelo assistente técnico Cláudio Pinheiro, que contará com as levantadoras Ana Tiemi e Claudinha; as opostos Joycinha, Tandara e Priscila Daroit; as ponteiras Ivna e Sassá; e as centrais Adenízia, Natália Martins, Andressa e Natasha, além da líbero Camila Brait.

*com Agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.