Norte-americana fazia parte da seleção dos Estados Unidos antes de sofrer um acidente no Brasil

Sete meses depois do acidente com o ônibus do Vôlei Futuro, a norte-americana Stacy Sykora não vê a hora de voltar às quadras. A líbero, no entanto, prega a cautela, sobretudo quando perguntada se projeta disputar as Olimpíadas de Londres-2012.

"Agora, estou pensando apenas no Vôlei Futuro. O amanhã não é importante, não sei como vai ser. Primeiro, eu quero jogar. É cedo para pensar em Londres", afirmou Stacy, que participou das três últimas edições dos Jogos Olímpicos, sendo medalhista de prata em Pequim-2008.

A respeito do acidente, do qual foi a vítima mais preocupante (a atleta sofreu um traumatismo crânioencefálico e uma hemorragia intracraniana), Stacy analisa o episódio como uma obra inevitável do destino.

"Eu sempre falei, mesmo antes do acidente, que todas as coisas acontecem por uma razão. Não tenho que ficar pensando em respostas, em porquês. É passado. Tenho que pensar positivo agora. Além disso, sinto que isso me ajudou", disse.

Franzina e de sorriso fácil, Stacy é a xodó do time de Araçatuba. As 'gigantes' Carol Gattaz e Walewska não perdem a oportunidade de caçoar da norte-americana quando ouvem deslizes no português, como 'aspera um pouco'.

Elas, inclusive, reconhecem a importância da norte-americana para o grupo. "É uma pessoa fácil de se lidar, diferente e muito extrovertida. Tem uma energia muito boa e traz isso ao time", enalteceu a meio de rede Waleswka, que foi contratada no meio do ano e ainda não jogou ao lado da líbero.

A central Carol Gattaz, mesmo convivendo pouco com Stacy, já a considera uma amiga de longa data. "Estive poucos dias com ela e é impressionante a energia que ela tem. Parece que eu conhecia ela há anos", brincou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.