Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

William se garante no cargo e culpa falta de paciência e brilho

No jogo final do Paulista feminino, Vôlei Futuro foi derrotado pelo Pinheiros/Mackenzie por 3 sets a 0

Gazeta Esportiva |

Treinador do Vôlei Futuro, William Carvalho acredita que faltou paciência para sua equipe na terceira partida da decisão do Campeonato Paulista feminino. No jogo final da série, realizado em São Paulo, o time de Araçatuba foi derrotado pelo Pinheiros/Mackenzie por 3 sets a 0, ficando com o vice-campeonato.

"Por incrível que pareça, o time experiente era o nosso, mas nos momentos decisivos nossas jogadoras não tiveram paciência suficiente para virar bolas de contra-ataque. Faltou um carinho maior no ataque, na recepção, uma precipitação menor para fazer o ponto...", avaliou o técnico.

Na teoria, o Vôlei Futuro era o favorito, visto que conta com atletas como Fabiana, capitã da seleção brasileira, Paula Pequeno, MVP das Olimpíadas de Pequim, além de Joycinha, Alisha Glass e Stacy Sykora. Para William, porém, faltou a individualidade brilhar mais na noite desta quarta-feira.

"Não posso dizer que não estávamos concentrados, porque estávamos até demais. Méritos do time do Pinheiros, que foi muito bem, mas sabíamos que elas iam jogar assim. Hoje, o individual poderia ter sido melhor, pecamos muito aí, enquanto as adversárias tiveram tranquilidade o tempo todo", analisou.

"Fico"

William também comentou os boatos de que seria demitido em caso de derrota do Vôlei Futuro na decisão. De acordo com ele, esta possibilidade não existe.

"A gente está até rindo disto. Fazer o quê? Parte da imprensa é assim. Paciência, tem que escutar e tudo bem", destacou o ex-atleta.

Um dos motivos que teria irritado a cúpula do Vôlei Futuro seria a demora na escalação da levantadora Alisha Glass e da líbero Stacy Sykora, membros da seleção norte-americana, no Campeonato Paulista. De acordo com William, porém, a estreia das duas foi até mesmo antecipada.

"Elas nem iam jogar no Paulista. Mas, se gente não colocasse as meninas, a imprensa caia matando. A gente corra esse risco e viu um time não tão bem como estava antes (pela falta de entrosamento). É a vida e agora é continuar trabalhando", destacou.

Leia tudo sobre: vôlei - campeonato paulista

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG