Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Único campeão em quadra,Thiago Alves se diz habituado a jogo único na final

Ponteiro é uma das forças no ataque do Sesi-SP para a decisão contra o Sada/Cruzeiro neste domingo

Aretha Martins, iG São Paulo |

Divulgação
Thiago Alves treina com o Sesi no Mineirinho e se prepara para a quarta final consecutiva
Thiago Alves chegou a todas as finais desde que a Superliga passou a ser decidida em jogo único, a partir da temporada 2007/2008. E venceu as três edições com a equipe da Cimed. Neste domingo, na decisão da temporada 2010/2011, o agora ponteiro do Sesi-SP será o único campeão da última temporada em quadra. E ele não se incomoda com essa “condição”.

“Essa será a minha quarta final em jogo único, então, eu já estou habituado porque já sei como funciona. Estou tranquilo e bem confiante”, afirma o ponteiro, que ainda se lembra da primeira final. “Eu passei quase a noite toda acordado. Acho que levantei umas três ou quatro vezes e tinha a sensação de que a noite não iria acabar nunca. Agora eu já consigo dormir bem”.

O Sesi foi o primeiro a conseguir a inédita vaga na final do torneio nacional ao fechar a série contra o Vivo/Minas com duas vitórias e uma derrota, no dia 8 de abril. Depois, pôde assistir ao último jogo da outra chave, que classificou o Sada/Cruzeiro após em 3 sets a 0 sobre o Vôlei Futuro. Mesmo com tanto tempo sem jogar, Thiago Alves disse ter não sofrido com ansiedade.

“Aproveitamos esse tempo para treinar, tratar quem sentia alguma lesão e recuperar a equipe. Não fiquei pensando na final nesse tempo todo. Mas com certeza, no sábado eu vou sentir aquele frio na barriga de novo. Mas isso é bom, motiva o atleta”.

O ponteiro não teve uma temporada muito simples. Ele ficou dois meses afastado das quadras, depois de passar por uma artroscopia no joelho esquerdo. Entretanto, voltou ao time do Sesi, viu seu nome na pré-lista da seleção brasileira para a Liga Mundial e, agora, chega à decisão na casa nova. Veterano em finais de jogos únicos, ele aposta em equilíbrio.

“Acho que vai ser um jogo duro e quem estiver melhor, tanto no emocional quanto no racional, vai levar a vantagem. E não tem muito que fazer. É jogar a bola para cima e soltar a mão”, completa o ponteiro.

Divulgação
Thiago Alves ganhou três títulos nacionais com a Cimed

Final em jogo único ainda divide opiniões
Apesar de se sentir à vontade em mais uma final, Thiago Alves gostaria de decidir o campeão nacional em uma série de três ou cinco jogos. “Se pudesse escolher, iria preferir o playoff porque eu acho mais justo. O pior time poderia vencer uma partida, mas não ganhar dois ou três. Venceria o melhor, sem dúvida”, diz o atacante.

Para Wallace, oposto do Sada/Cruzeiro, o jogo único tem um lado positivo e outro negativo. “É ruim porque você já entra em quadra com aquela pressão porque sabe que aquela é a sua única chance. Mas o lado bom, é que, se vencer, já é logo campeão e pode ir para casa, não precisa ganhar mais nenhum jogo”.

A partida que vale o título nacional será às 10h deste domingo, um horário diferente de todo o restante da Superliga. Sesi e Sada/Cruzeiro jogaram apenas uma partida da semifinal neste horário. Mas eles não se preocupam com sono ou falta de ritmo logo pela manhã.

“Você até acorda cedo, mas quando chega ao ginásio, a adrenalina já vai lá em cima. Não tem como ficar com sono. A gente liga na hora”, brinca Sandro, levantador do Sesi.
 

Leia tudo sobre: thiago alvessesisadasuperliga masculina

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG