Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Torcida do Sada Cruzeiro se desculpa com o central Michael

Apesar do clima de rivalidade entre os times, torcedores cruzeirenses se comportaram melhor e não ofenderam o jogador

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

AE
Michael, jogador do Vôlei Futuro
Depois do incidente de homofobia na primeira partida da semifinal entre Sada Cruzeiro x Vôlei Futuro, quando a torcida cruzeirense insultou o central Michael, do Vôlei Futuro, a terceira partida da série melhor de três foi mais tranqüila nesse sentido. Os torcedores mineiros chegaram até a se desculpar com o jogador Michael por meio de faixas na vitória do Sada Cruzeiro por 3 a 0.

Os torcedores receberam um panfleto com os dizeres: “Chegou a hora. Seu apoio é fundamental para esta grande conquista. Incentive os nossos jogadores. Respeite o adversário. Não lance nenhum objeto em quadra. Não prejudique o seu time. Faça seu papel nas arquibancadas e deixe a quadra para o show dos nossos guerreiros”.

No ginásio, foi pendurado um cartaz da Prefeitura de Contagem com outra mensagem contra a homofobia. E a estratégia da diretoria do Sada Cruzeiro parece ter dado certo. A cada vez que o central Michael se dirigia para o saque, apenas vaias o acompanhavam, sem nenhuma espécie de grito da torcida ofendendo sua opção sexual.

Chateado com a derrota na semifinal, Michael afirmou que não sofreu nenhum tipo de ofensa por ser gay. "Esse é o verdadeiro papel da torcida, que empurra o time deles sem ofender ninguém. Dessa vez, não percebi nada sobre homofobia. Valeu a pena ter levantado essa causa na partida anterior aqui em Contagem. As pessoas devem ser respeitadas independentemente de sua opção sexual, religão ou qualquer outra coisa”, disse o central Michael, que não foi bem na partida decisiva. 

Entretanto, alguns torcedores hostilizaram o jogador no ginásio em Contagem. Diferente do descarado "bicha" (proferido no primeiro confronto), a ofensa foi camuflada. Aproveitando a rivalidade futebolística, os cruzeirenses se dirigiram a Michael com gritos de "Richarlyson" - jogador que também sofreu, sobretudo em sua passagem pelo São Paulo, de ataques homofóbicos e, atualmente, é atleta do Atlético-MG. Além disso, a torcida improvisou um cântico: "Doutor, eu não me engano, o Michael é atleticano".

Futura Press
Torcedoras do Sada Cruzeiro mostram faixa com pedido de desculpas a Michael

*Com Gazeta Esportiva

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG