Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Superliga 2010/11 começa com times reformulados e promessa de equilíbrio

O jogo de abertura da competição será entre Soya/Blumenau/Martiplus e Volta Redonda, às 19h deste sábado. No mesmo dia, o atual vice-campeão BMG/Montes Claros estreia contra o Santo André/Spread

Aretha Martins, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861990351&_c_=MiGComponente_C

A Superliga masculina de vôlei, edição 2010/2011, começa neste sábado com 15 times e elencos reformulados, após uma grande agitação no mercado no final da última temporada. Assediada, a tetracampeã Cimed perdeu jogadores como Lucão, Mario Jr e Thiago Alves. Já o Vivo/Minas, que amargou o sétimo lugar na edição passada, se reforçou com o levantador Marlon e o norte-americano Russel Homes.

Com as mudanças, os jogadores apostam em disputa acirrada. A Superliga promete ser a mais equilibrada de todos os tempos, diz Serginho, líbero que jogou sete anos no Vivo/Minas e agora veste a camisa do Sada/Cruzeiro. Reforços e mudanças só engrandecem o campeonato, já que cada um quer mostrar em quadra o seu valor, afirma Marlon, levantador da seleção e que assinou com o Vivo/Minas.

Apesar da dança das cadeiras, alguns times mantiveram o favoritismo do torneio passado. A favorita ainda é a Cimed, que pegou o gosto pela final e sabe como chegar lá, avalia Alan, líbero da seleção brasileira e do Londrina/Sercomtel, estreante na Superliga. A Cimed é a equipe a ser batida, mas o Sesi e o Vôlei Futuro se reforçaram bastante, analisa Rodrigão, tricampeão mundial com a seleção e central do Pinheiros/Sky.

Do outro lado, teve time que sofreu com a movimentação do mercado. Na opinião de André Nascimento, oposto do Vivo/Minas, quase todos se reforçaram, mas o Montes Claros, vice-campeão em 2009/10, passou por um desmanche. O time perdeu o oposto Lorena e os pontas Diogo e Piá, por exemplo, e não foi  apontado pelos rivais como um dos favoritos.

A Superliga começa neste sábado com dois jogos. Soya/Blumenau/Martiplus encara o Volta Redonda em Belo Horizonte, às 19h (horário de Brasília), e o BMG/Montes Claros recebe o Santo André/Spread, às 19h30.

Conheça as 15 equipes que disputam o título nacional, suas principais estrelas e as chances de cada uma no torneio.

Favoritos

Cimed ¿ quatro títulos e campeã da temporada 2009/2010
A equipe catarinense tem seis anos, e desde a primeira Superliga tem chegado à final. Depois de manter a base por três temporadas, a Cimed começa a disputa deste ano renovada. Enquanto Thiago Alves (Sesi), Mário Jr (Vôlei Futuro) e Lucão (Vôlei Futuro) saíram, o time contou com as chegadas do oposto Anderson, do ponta João Paulo Tavares, do meia Jardel e do levantador Joel. Além disso, manteve no elenco o levantador Bruninho e o central Éder.

Divulgação
Cimed, do levantador Bruninho, busca mais um título nacional

Vôlei Futuro ¿ nenhum título e 10º lugar na temporada 2009/2010
Foi o time que mais investiu nesta temporada. Além de tirar Lucão e Mario Jr da Cimed, contratou o oposto Leandro Vissotto e o levantador Ricardinho, que estavam no vôlei italiano. O desafio será unir a conhecida velocidade do levantador à altura de Lucão e Vissotto. Vou tentar criar para fazer com que esses grandões se movimentem da forma que era o time mágico da seleção, quando era eu, Giba, André Nascimento, Rodrigão, Dante..., explica Ricardinho. O novo elenco já tem os primeiros resultados positivos. Na semifinal do Campeonato Paulista, o time de Araçatuba eliminou o Pinheiros/Sky, de Giba e companhia, com 2 a 0 na série semifinal.

Sesi
¿ nenhum título e 5º lugar na temporada 2009/2010
Equipe comandada por Giovane Gavio disputa a sua segunda Superliga também com caras novas e conhecidas. Thiago Alves e Sandro, que passaram pela seleção, reforçam o elenco. Na defesa, o grande nome é Serginho, que volta a jogar depois de cinco meses parado por causa de uma cirurgia na coluna. Por outro lado, a equipe perdeu para a Cimed o oposto Anderson, o mais experiente em quadra. Entretanto, na opinião de Murilo, melhor jogador do mundo e que segue na equipe, o time conseguiu um equilíbrio melhor para esta temporada. Tínhamos eu, que era um ponteiro passador, e agora temos o Thiago Alves, que é o ponteiro mais atacante, por exemplo, analisa. Para começar a Superliga embalado, disputa contra o Vôlei Futuro o título no Paulista.

Pinheiros/Sky
¿ nenhum título e 3º lugar na temporada 2009/2010
Mais uma equipe que disputa a segunda Superliga e que também já nasceu como favorita, com os campeões olímpicos e mundiais Giba, Rodrigão e Gustavo, além de Marcelinho, prata em Pequim. Eles seguem no time nesta temporada e ganham a companhia de destaques da última edição da Superliga, como Tuba e Maurício, além do técnico Mauro Grasso. Formamos um grupo bem bacana, que ganhou força. Agora temos dois opostos. No ano passado, tinha apenas o Léo, e isso prejudicava no trabalho do dia-a-dia. Agora temos o Tuba, afirma Rodrigão.

Forças secundárias

BMG/Montes Claros ¿ nenhum título e vice-campeão na temporada 2009/2010
Depois de um começo arrasador na Superliga, conquistando o segundo lugar logo na temporada de estreia, o time viveu um verdadeiro desmanche. Restaram na equipe apenas o levantador Rodriguinho, eleito o melhor no fundamento no último torneio, e o central Salsa. Para compensar, a equipe contratou o ponta Bruno Zanuto, destaque do Sada/Cruzeiro, e o oposto Rivaldo, campeão da Liga Mundial com a seleção em 2009.

Sada/Cruzeiro
¿ nenhum título e 4º lugar na temporada 2009/2010
É um dos times embalados nesta temporada. A equipe mineira venceu os 12 jogos que disputou neste ano e faturou os títulos do Torneio Internacional de Irvine, nos Estados Unidos, e do Campeonato Mineiro, passando por BMG/Montes Claros e batendo o Vivo/Minas na final. O elenco também teve mudanças. Perdeu o levantador Sandro para o Sesi, por exemplo, mas conta com as chegadas do central Acácio, ex-Montes Claros, do líbero Serginho, ex-Vivo/Minas, e do ponta Filipe, ex-Sesi, além dos repatriamentos do levantador William Arjona e do ponta Léo Mineiro. Wallace, um dos remanescentes é otimista e realista ao mesmo tempo. É difícil começar de novo do zero, com elenco mudado, mas a renovação dá uma empolgação a mais para o time, diz o oposto.

Vivo/Minas
¿ quatro títulos e 7º lugar na temporada 2009/2010
O desempenho da última temporada não agradou os mineiros. Para mudar o cenário e voltar às finais, o time manteve o central Henrique e o oposto André Nascimento, mas contratou o levantador Marlon, da seleção brasileira, o ponta Diogo e o líbero Tiago Brendle, que estavam no Montes Claros, além do norte-americano Russel Homes. Ainda repatriou o técnico Marcelo Fronckowiaki, que atuava há seis anos na Europa. As equipes que mudaram muito em relação ao ano passado foram porque não corresponderam às expectativas dos clubes e tinham mesmo que se reformular. Foi o que aconteceu com a gente, analisa o central Henrique. Foi uma renovação para mudar a postura, resgatar a tradição e levar o Minas para onde ele deve estar: nas cabeças, completa André Nascimento

Divulgação
Levantador Marlon é o principal reforço do Vivo/Minas para esta temporada

Medley/Campinas ¿ estreante na Superliga
O time é formado por campeões olímpicos dentro e fora de quadra. O ex-levantador Maurício é o idealizador e gerente do time, enquanto o central André Heller é a segurança dentro de quadra. Para completar, a juventude dos ponteiros Wanderson e Mão, campeões mundiais juvenis em 2007 e em 2009, respectivamente. Esse é o primeiro ano e é um ano que será crucial para a história da equipe. Pode parecer empolgação, mas a equipe pode crescer muito. E isso é realidade, não um excesso de confiança, afirma Heller. Na primeira temporada, o time levou os Jogos Regionais e chegou à semifinal do Campeonato Paulista, mas acabou eliminada pelo Sesi.

Fátima/Medquímica/Sogipa
¿ nenhum título e 8º lugar na temporada 2009/2010
A equipe surpreendeu na temporada passada e, depois de trocar Duque de Caxias por Porto Alegre, quer manter o alto nível. Para isso, segurou o oposto Kaio, destaque da última Superliga, e o experiente técnico Jorginho Schimidt, alem de se reforçar com os veteranos Roberto Minuzzi, ponteiro, e Jeffe, líbero.

BMG/São Bernardo
¿ um título e 6º lugar na temporada 2009/2010
A equipe sobreviveu à perda de patrocínio na última temporada e se manteve de pé. Em quadra, teve duras baixas, como as saídas do líbero Serginho, do levantador Marlon e do oposto Tuba. Entretanto, aposta nos juvenis da seleção brasileira para manter o desempenho do ano passado, com Renan, jogador mais alto do torneio (2,15m), Isac e Najari, campeões mundiais na categoria em 2009.

Azarões

Santo André/Spread ¿ nenhum título e 12º lugar na temporada 2009/2010
Apesar da tradição no vôlei, o time tem ficado longe do pódio nas últimas edições da Superliga. Para 2010/2011, o ponteiro Orlando é o mais experiente do elenco. Ele atuará ao lado de novatos como o central Matheus, de 18 anos, uma das apostas da comissão técnica para a temporada. 

São Caetano/Tamoyo
¿ três títulos e 9º lugar na temporada 2009/2010
A equipe da cidade do ABC, que já teve em seu elenco estrelas como Giba, Carlão e os argentinos Webber e Marcos Milinkovic no final dos anos 90, está reformulada para a temporada. Entre as novidades estão o levantador Fred, ex-Santo André, o ponteiro Baroni e o oposto Urso, ex-Vôlei Futuro. 

Soya/Blumenau/Martiplus
¿ nenhum título e 11º lugar na temporada 2009/2010
Dois nomes se destacam na equipe: o cubano Dariel Cortina, 10º maior pontuador da edição passada, com 441 bolas no chão, e o levantador China, que atuou pelo Soya nas seis participações da equipe em Superligas, desde a temporada 98/99.

Volta Redonda
¿ nenhum título e 13º lugar na temporada 2009/2010
É o único representante do Rio de Janeiro na competição e conta com um atacante experiente e conhecido no cenário nacional: Ezinho, tetracampeão da Superliga com o Vivo/Minas e vice com o Montes Claros. A equipe disputa o torneio pela segunda vez

Londrina/Sercomtel
¿ estreante na Superliga
Com a equipe, o estado do Paraná volta à competição nacional. Os nomes conhecidos no elenco são o líbero Alan, campeão mundial com a seleção brasileira e ex-Pinheiros/Sky e o assistente técnico Jorge Édson, campeão olímpico sob o comando de José Roberto Guimarães em 1992.

Divulgação
Lídero Alan é o grande nome do Londrina/Sercomtel para a competição nacional

Leia tudo sobre: vôlei - superliga masculina

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG