Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Sheilla comemora boa atuação e pede atenção contra Cuba

Oposta foi destaque na vitória contra a Tailândia por 3 sets a 0 na estreia na segunda fase do Mundial feminino

Gazeta Esportiva |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861445099&_c_=MiGComponente_C

Se a ponteira Natália brilhou na última partida da seleção feminina de vôlei contra a Itália, marcando 25 pontos em apenas três sets, hoje foi o dia da oposto Sheilla. Inspirada, a atacante terminou como a maior pontuadora na vitória sobre a Tailândia também por 3 sets a 0, com 21 acertos - 19 de ataque e dois de bloqueio.

"Hoje a Sheilla mostrou todo o seu repertório. Tirou da cartola inúmeras jogadas. Ela é muito habilidosa. Nos momentos de dificuldade, consegue arrumar um jeito de virar as bolas", elogiou o técnico José Roberto Guimarães.

A atleta agradeceu o elogio do treinador, enaltecendo a boa atuação na estreia da segunda fase do Mundial. "Há dias em que tudo dá certo. Hoje estava inspirada e consegui brincar um pouquinho no ataque", sorriu, justificando o início atribulado das brasileiras na partida.

"Jogar contra a Tailândia é sempre difícil. Elas são rápidas, se mexem muito. É um estilo de jogo diferente do que estamos acostumadas. Por isso, demoramos um pouco para nos adaptar no começo", afirmou.

Divulgação
Brasil teve boa atuação na defesa na vitória sobre a Tailândia



Após a vitória, a Sheilla já pensa na próxima adversária, a seleção de Cuba. Se a história traz grande rivalidade, o momento atual é mais favorável ao Brasil. No entanto, todo cuidado é pouco no confronto. "A seleção cubana não está tão forte quanto era antigamente, mas um jogo entre Brasil e Cuba sempre pega fogo", disse a oposto, tendo a opinião endossada pelo técnico Zé Roberto.

"Jogar contra Cuba é sempre complicado. Esse time cubano está com jogadoras novas, mas a rivalidade é histórica. Será uma partida difícil. As provocações fazem parte do clima do jogo", comentou o treinador.

"Temos de ficar atentos a Carcaces, que está fazendo um grande campeonato e ataca as bolas mais difíceis. A Sanchez comanda a equipe no bloqueio. Teremos de entrar concentrados", alerta Zé Roberto.

Brasil e Cuba jogam às 4h30 deste domingo. A próxima adversária da seleção perdeu para a Holanda neste sábado na primeira rodada da segunda fase. Já o Brasil segue na liderança do grupo, ao lado dos Estados Unidos, dois invictos no torneio.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG